A Lyft, concorrente da Uber no mercado americano de partilha de viagens em automóveis, anunciou que o seu serviço vai passar a ser neutro em termos de emissões de carbono. Isto, no entanto, sem fazer qualquer alteração à sua frota ou aos automóveis dos seus motoristas. Em vez disso, a transportadora anunciou que passou a comprar créditos de carbono.

Este é um mercado que permite a empresas poluidoras comprarem e venderem emissões de CO2 e outros gases de efeito de estufa, de modo a manterem a poluição gerada por uma empresa em níveis dentro dos limites da lei. A Lyft vai ser uma das principais compradores neste mercado, para compensar as emissões poluentes dos seus automóveis.

Embora esta medida tenha merecido alguma reprovação por outros agentes da indústria, a Lyft mantém a promessa de oferecer mais de mil milhões de viagens sem poluição até 2025, e que todos os seus automóveis autónomos vão funcionar exclusivamente com energias renováveis.