Os combustíveis fósseis usados para produção de energia são considerados um grande poluente pelo público, mas a gasolina e o gasóleo poderão ser mais inofensivos do que certas químicos e objetos usados no dia-a-dia. Um estudo indica que perfumes e pesticidas, que são pulverizados, emitem tanta poluição para a atmosfera como combustíveis automóveis.

Este é o resultado de um estudo publicado na publicação científica Science a semana passada. A equipa liderada por Brian C. McDonald descobriu que, apesar de serem usados em quantidades 15 vezes inferiores à gasolina e gasóleo, perfumes, produtos de limpeza, pesticidas, tintas de impressora e outros produtos pulverizados, derivados de petróleo, correspondem a metade da poluição atmosférica registada nas cidades.

A razão é porque, enquanto a poluição oriunda de combustíveis já é o produto final do processo de combustão, feito dentro de um espaço fechado (como um motor), os produtos pulverizados vão diretamente para o ar quando são usados. E a legislação está preocupada essencialmente com as emissões de dióxido de carbono resultantes dos combustíveis, deixando os compostos petrolíferos existentes em pulverizadores livres a circular na atmosfera, junto ao solo, e sem controlo.