Grupo PSA ajusta unidades europeias para lidar com exigências da indústria

Pedro Junceiro
Pedro Junceiro
Editor Conteúdos

Sob a liderança de Carlos Tavares, o Grupo PSA continua o caminho de procura de rentabilização máxima dos modelos de negócio das diferentes marcas, revelando hoje o seu plano de otimização industrial para a Europa.

Procurando a melhoria da performance das fábricas de motores e de caixas de velocidades, por forma a responder às necessidades dos futuros modelos Opel/Vauxhall, desenvolvidos com base em plataformas do Grupo PSA, a companhia gaulesa está a investir na preparação das instalações industriais para a evolução do ‘mix‘ de motores de combustão interna (sobretudo com a ascensão da gasolina), ao mesmo tempo lançando as bases para o incremento da eletrificação.

Com o objetivo de acelerar o seu desenvolvimento e aumentar a sua competitividade no Velho Continente, a PSA irá assim agir em dois eixos de forma a incrementar a agilidade da sua base industrial, aproximando o mais possível a produção de componentes das fábricas de automóveis e adaptar a sua produção de acordo com as expectativas dos clientes, tendo em conta as evoluções tecnológicas e energéticas.

Estas evoluções constituem, também, uma oportunidade para ajustar a capacidade de produção de motores do Grupo, à medida que os modelos Opel/Vauxhall passam a ser fabricados sobre plataformas do Groupe PSA e equipados com grupos propulsores e tecnologias do Grupo.

Neste âmbito, decidiu-se implementar três pontos de evolução: o primeiro passa pelo aumento da produção de motores a gasolina de três cilindros turbo a gasolina (PureTech) numa localização o mais próxima possível das fábricas de automóveis. Para além da duplicação da capacidade de produção em França, em comparação com os volumes de 2016, já em curso nas fábricas de Douvrin e Trémery, o Grupo PSA irá produzir os seus motores PureTech em Tichy (Polónia) e, a partir de 2019, em Szentgotthárd (Hungria).

Na segunda vertente, serão aumentados a partir de 2019 os volumes de produção de caixas de velocidades, graças a uma parceria estratégica assinada com a AISIN AW, para a produção sob licença de caixas de velocidades automáticas em Valenciennes (França), que atingirá todo o seu potencial em 2020. Até ao presente, este componente tem sido produzido no Japão e na China. O Grupo irá, também, investir no aumento da produção das caixas de velocidades manuais “ML” em Metz-Borny (França) e “MB6” em Aspern (Áustria), equipamentos destinados, principalmente, aos seus modelos topo de gama e a veículos comerciais, bem como para satisfazer a crescente procura originada pela produção de modelos Opel/Vauxhall.

Por fim, a fábrica de Trémery (França) será preparada para a produção de motores elétricos a partir de 2019, em antecipação à esperada aceleração de produção agendada para 2021, graças à joint-venture assinada com a Nidec.

Tendo adquirido a Opel no ano passado, este plano de reorganização fabril deixa de fora indicações quanto aos locais de produção germânicos, não se sabendo ainda se existirão mudanças a este respeito.