Uma das figuras mais importantes da indústria automóvel é Gianni Agnelli. Neto do fundador da Fiat, Giovanni Agnelli, Gianni transformou a marca de Turim num dos mais poderosos construtores automóveis do mundo, e foi também um inveterado playboy que influenciou a moda masculina europeia.

E não podia ser de outra maneira, já que a sua mãe era uma princesa, e a sua mulher também. E agora, 15 anos depois da sua morte, Gianni Agnelli tornou-se uma estrela de televisão, como personagem principal do filme documental do canal americano HBO, chamado simplesmente “Agnelli”. Com 110 minutos de duração, o filme foi criado pelo realizador americano Nick Hooker exclusivamente com imagens de arquivo.

Figuras públicas internacionais como Henry Kissinger e Leonid Brezhnev têm aparições no filme, justificando a sua influência a nível internacional. Conhecido como “Avocatto”, apesar de nunca ter exercido a profissão, Agnelli assumiu a presidência da Fiat em 1966 e foi o responsável pela concentração da indústria automóvel italiana sob a sua liderança, adquirindo e controlando a Lancia, Ferrari, Iveco, Alfa Romeo e Maserati. Nos anos 70, desafiou as Brigadas Vermelhas guiando o seu Fiat para a fábrica da marca todos os dias.

Fora do trabalho, o seu estilo de moda personalizado era instantaneamente reconhecido. Usava o relógio por cima do punho da camisa, demasiado apertado, mas o look foi copiado pelos seus pares. Quando viajava de helicóptero para a Riviera, saltava diretamente do aparelho para a água para nadar até ao seu iate de 80 pés, Agneta. Gianni Agnelli era um homem que controlava o seu meio ambiente. E a sua história ficou imortalizada em filme.