O Museu Enzo Ferrari tem como objetivo preservar a riqueza histórica da lendária marca italiana de automóveis. E essa riqueza manifesta-se de muitas maneiras, tanto no campo do design e performance, como no desejo de posse de um objeto de arte. Neste caso, a Ferrari montou uma exposição dedicada à mulher e ao ideal feminino representado pelos seus automóveis.

A exposição, batizada “Il Rosso e Il Rosa” (o vermelho e o rosa), foi inaugurada pela cantora escocesa Amy McDonald, que contribuiu para a exposição emprestando o seu Ferrari 458 Italia, e a empresária e piloto francesa Deborah Mayer, que disponibilizou os Ferrari 458 GT3 e 488 Challenge com que participa regularmente em competição automóvel.

Além destas três viaturas, o Museu Enzo Ferrari mostra ainda um exemplar do Ferrari 212 Inter de 1951, preferido pelas atrizes Anna Magnani e Ingrid Bergman, ou o 250 GT Berlinetta de 1956, que pertenceu a Norma Shearer. Dos anos 60, foram escolhidos o 250 GTO de 1962 que foi pilotado em provas como o Tour de France Automobile pela piloto Annie de Montaigu e o 250 LM de 1963 que pertenceu à atriz Jayne Mansfield.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.