Mercado automóvel ‘abre’ 2018 em queda devido a problemas informáticos

Pedro Junceiro
Pedro Junceiro
Editor Conteúdos

O mercado automóvel nacional ‘abriu’ o ano de 2018 com uma variação negativa face ao mesmo mês do ano passado, mas o resultado não reflete a atividade dos operadores no período em causa, uma vez que se viram impedidos de matricular todos os veículos que pretendiam.

De acordo com a Associação Automóvel de Portugal (ACAP), que apresentou os resultados de vendas para o primeiro mês de 2018, um problema com origem no sistema informático da Autoridade Tributária tem impedido a normal emissão de matrículas, “existindo casos em que os operadores representantes legais de marcas de automóveis liquidaram o Imposto Sobre Veículos não tendo, no entanto, sido atribuídas as matrículas”.

A associação aponta, ainda, que esse problema tem um impacto direto na atividade dos operadores automóveis do setor, referindo que existiram “objetivos que não foram cumpridos”, ao mesmo tempo verificando-se menos entradas na tesouraria, “tendo atingindo em particular os concessionários, para além dos danos reputacionais que resultam da insatisfação dos clientes”.

Em relação ao mercado que foi possível apurar, verifica-se que no mês de janeiro de 2018 foram matriculados em Portugal 18.050 veículos automóveis, tendo sido observado um decréscimo homólogo de 2,1%. Esta queda resulta do facto de a estatística do mercado de janeiro de 2018 se encontrar incompleta.

Entre os ligeiros de passageiros foram matriculados no nosso país 14.894 automóveis, ou seja, menos 2,1% do que no mês homólogo do ano anterior, enquanto no segmento dos comerciais ligeiros, foram colocados em circulação 2454 novos veículos, o que representou um decréscimo de 1%.

Quanto ao mercado de veículos pesados, o qual engloba os tipos de passageiros e de mercadorias, em janeiro de 2018 verificou-se também uma queda pelas razões anteriormente aduzidas de 4,9% em relação ao mês homólogo do ano anterior, tendo sido matriculados 702 veículos desta categoria.

Peugeot na frente

Neste cenário em que a tabela de janeiro não reflete por inteiro as prestações comerciais de cada operador de importação automóvel, foi a Peugeot, porém, que assumiu a liderança nas vendas dos ligeiros de passageiros, com um total de 1597 veículos matriculados em janeiro, ficando à frente da Renault, que teve 1526 registos no mesmo período. Na terceira posição figura a Mercedes-Benz, com um total de 1420 unidades registadas, surgindo até bastante próxima do duo da frente. A Opel surge na quarta posição com 946 veículos, na frente da BMW (906), Citroën (897) e Fiat (770).

Seguem-se a Nissan, com 757 unidades matriculadas, e a Volkswagen, com um valor de apenas 694 matrículas, devendo ser uma das marcas que mais problemas enfrentou no mês de janeiro atendendo a este valor tão baixo (comparativamente com o histórico da marca no mercado nacional).

Janeiro-Janeiro
Unidades
Marca 2018 2017
PEUGEOT 1597 1484
RENAULT 1526 1518
MERCEDES-BENZ 1420 1446
OPEL 946 933
BMW 906 1274
CITROEN 897 862
FIAT 770 677
NISSAN 757 771
VOLKSWAGEN 694 1176
FORD 679 663
DACIA 620 358
SEAT 543 545
TOYOTA 520 383
AUDI 489 562
KIA 421 477
VOLVO 295 312
SMART 243 236
MAZDA 217 223
MINI 210 200
MITSUBISHI 159 122
HYUNDAI 151 265
SKODA 134 190
HONDA 129 91
JAGUAR 84 72
LAND ROVER 83 118
JEEP 81 3
PORSCHE 76 57
DS 75 53
ALFA ROMEO 43 44
LEXUS 41 42
TESLA 30 0
SUZUKI 27 32
BMW I 18 16
MASERATI 8 7
ASTON MARTIN 3 2
MORGAN 1 1
SUBARU 1 0
FERRARI 0 2
AUSTIN 0 1
BENTLEY 0 1
MG 0 1
Total 14894 15220
Fonte: ACAP
Origem: IMT