Quando se pensa em novas tecnologias de mobilidade urbana, imaginam-se carros autónomos, trotinetes elétricas, drones de entregas e até carros voadores. Mas e se o novo método de transporte fosse uma tecnologia antiga, adaptada às necessidades ecológicas, turísticas e de mobilidade do futuro? Neste caso, a cidade de Amesterdão propõe o seu novo teleférico, que vai entrar em atividade em 2025.

Embora ainda falte algum tempo até este projeto está construído, o estúdio responsável pelo seu design, o UNStudio já mostrou que tipo de vista vai mostrar da capital holandesa. O IJbaan vai ter um quilómetro e meio de cabo, cobrindo a distância entre as zonas de Amesterdão-Oeste e Amesterdão-Norte, com estações em Minervahaven e na marina do antigo estaleiro. Espera-se também que haja uma expansão futura.

Financiado pela Câmara Municipal, o IJbann vai poder transportar rapidamente pessoas em zonas que necessitam de percorrer uma grande distância em terra firme para ficarem conectados. Mesmo andando de bicicleta, o transporte favorito dos holandeses, teria implicações negativas no tráfego, resultando em mais filas de trânsito.

Assim, quando o teleférico estiver pronto, vai transportar entre 32 e 37 passageiros, assim como um máximo de seis bicicletas, numa pequena viagem que vai demorara apenas quatro minutos e 35 segundos a ser completada. No entanto, como vai passar por cima da zona portuária, foi necessário colocar o cabo a uma grande altitude, com um perigeu de 46 metros e um apogeu de 136 metros. Mesmo assim, o seu design não infringe nas especificações para Amesterdão continuar a ser considerada património mundial da UNESCO.