Pirelli faz pneu que só pode ser usado num carro… que vale milhões

Pedro Junceiro
Pedro Junceiro
Editor Conteúdos

Do icónico e extremamente valioso Ferrari 250 GTO apenas se produziram 39 unidades, mas a Pirelli concebeu um pneu exclusivo para este modelo, num autêntico trabalho de curadoria histórica.

Criado como um modelo pensado para a competição, daí a sua designação GTO (Gran Turismo Omologato), este Ferrari assume-se como um dos modelos mais valiosos do mundo, dada a sua exclusividade e competência técnica proporcionada pelo motor V12 colocado sob o seu longo capot.

Na sua génese estiveram alguns dos mais conhecidos nomes da marca italiana, como são os casos de Giotto Bizarrini, Mauro Forghieri e Sergio Scaglietti. Nesta autêntica ‘constelação’ de estrelas, a aura do 250 GTO cresceu ao ponto de ser hoje um dos mais cobiçados modelos da marca de Maranello.

Concebido para bater os Jaguar E-Type do Campeonato de GT da época, o 250 GTO recorreu ao motor V12 de 3.0 litros do Testa Rossa e ao chassis do 250 SWB, sendo por isso uma mistura de capacidades desenvolvidas para a pista desde o momento do seu lançamento, em 1962.

Para o ‘calçar’, a Pirelli tinha à disposição o Stelvio Corsa, pneu surgido cerca de dez anos antes do 250 GTO, tendo sido utilizado pela Ferrari no 500 F1 com que Alberto Ascari venceu o campeonato do mundo de Fórmula 1 em 1952 e no 375 Plus que venceu as 24 Horas de Le Mans de 1954.

Agora, mais de 50 anos volvidos, o pneu Stelvio Corsa volta a ser produzido pela Pirelli exclusivamente para este 250 GTO, não se encontrando disponível, de resto, para qualquer outro carro. Desenvolvido para as jantes de 15 polegadas do 250 GTO, o pneu é concebido ao abrigo da estratégia Pirelli Perfect Fit, que concebe os pneus especificamente para os carros em que surgiram originalmente.

Dessa forma, o estilo é o mesmo da época de 1960, com as mesmas letras nas paredes e os mesmos padrões na banda de rolamento, o que é resultado do recurso aos mesmos documentos técnicos que a Pirelli encontrou no seu arquivo na Fondazione Pirelli. No entanto, apesar das características clássicas, a tecnologia empregue neste pneu é bastante moderna, conseguindo até ser mais ecológico.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.