Tira-teimas: Bugatti Chiron e Fórmula 1 enfrentam carro a jato!

29/03/2020

Os dias de confinamento obrigam a reinventar rotinas e pedem disciplina e muita criatividade para aproveitar o tempo entre quatro paredes. Foi o que fizeram alguns dos engenheiros da equipa Bloodhound LSR que, depois de obrigados a adiar a tentativa de recorde de velocidade terrestre, devido à pandemia de COVIS-19, conseguiram inventar forma de continuar a acelerar o veículo supersónico… sem saírem de suas casas.

Os britânicos conseguiram simular uma prova de aceleração entre o seu Bloodhound LSR, um monolugar de Fórmula 1, um Bugatti Chiron e um normalíssimo utilitário. O objetivo não será encontrar um vencedor, mas comprovar as diferenças de velocidade e aceleração. E ainda que virtuais, as conclusões surpreendem!

O Bloodhound LSR, com o seu motor de avião, ajudado por uma enorme turbina montada na cauda, é o mais lento a cumprir os primeiros os primeiros metros de aceleração, para depois, a funcionar em pleno, galgar terreno qual míssil terrestre, deixando todos os concorrentes para trás.

O supersónico britânico não é um ‘sprinter’, como atestam os 6,3 segundos para cumprir 0 a 100 km/h, mas é o único capaz de chegar a 1.011 km/h, marca que atinge em 50,1 segundos.

O objetivo da equipa é superar o atual recorde de velocidade terrestre, fixado em incríveis 1.227,98 km/h, almejando a marca histórica de 1.000 mph (1.609 km/h).