Deixar o carro assumir a tarefa do estacionamento é um dos desejos mais antigos dos condutores, que têm recebido nos últimos anos diversos sistemas auxiliares para essas manobras, como são os sensores de estacionamento ou os sistemas ativos de parqueamento. Porém, com a chegada da condução autónoma, a Daimler e a Bosch querem levar esta funcionalidade mais além e colaboraram na criação de lugares dedicados em que os carros podem ser estacionados de forma remota.

O local escolhido para esta inovação foi o Museu da Mercedes-Benz em Estugarda, no qual a Daimler e a Bosch trabalharam para criar um serviço de estacionamento automatizado (Automated Valet Parking, em inglês), bastando ao proprietário do veículo utilizar o seu smartphone para estacionarem os seus carros em lugares específicos.

A partir de 2018 todos os visitantes do museu poderão experimentar este serviço pessoalmente no estacionamento do musei e poupar tempo na tarefa do parqueamento. Para Michael Hafner, diretor do departamento de Condução Autónoma e do Desenvolvimento de Segurança Ativa da Mercedes-Benz Cars, a tecnologia autónoma de condução “estará entre nós mais rapidamente do que muitos poderiam imaginar. O estacionamento sem condutor no museu demonstra de forma taxativa o avanço desta tecnologia”.

Na palma da mão

Recorrendo a um smartphone, qualquer um pode reservar um veículo através de uma aplicação criada para o efeito. A viagem começa, depois, com o veículo a ‘conduzir-se’ para a zona de recolha por parte do cliente, enquanto no retorno a situação é igualmente simples. O cliente deixa o carro no local de recolha e devolve-o, efetivamente, por intermédio de aplicação. Assim que o sistema inteligente tenha identificado o veículo, este arranca e é guiado automaticamente para um lugar reservado. Este sistema funcionar graças à interação entre a infraestrutura do parque de estacionamento desenvolvida pela Bosch e à tecnologia de condução da Mercedes-Benz.

Os sensores instalados no parque vigiam a zona de trânsito e os seus arredores enquanto conduzem o veículo. Se for necessário, por qualquer situação, o veículo para-se a tempo de alguma situação dramática. Os sensores existentes na infraestrutura do parque e a tecnologia de comunicação provêem da Bosch, cabendo à Daimler disponibilizar o parque privado do museu e os veículos para esta experiência-piloto.

a carregar vídeo

Desde o primeiro momento que este projeto tem sido seguido em grande proximidade pelas autoridades regionais administrativas de Estugarda e do Ministério dos Transportes de Baden-Württenberg, as quais têm avaliado a segurança desta tecnologia autónoma. As autoridades reguladoras deverão emitir o seu parecer final de aprovação antes da disponibilização final desta possibilidade aos clientes e em inícios de 2018, se tudo decorrer de acordo com os planos da marca, os visitantes poderão utilizar o estacionamento automatizado na garagem do museu Mercedes-Benz.

A Daimler estima que esta será uma forma mais eficiente de aproveitar o espaço dos parques de estacionamento no futuro, prevendo que se possam estacionar até mais 20% de carros no mesmo espaço atual.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.