Criação exclusiva e indubitavelmente milionária, o Bugatti Chiron Super Sport ‘Golden Era’ é descrito pela marca francesa como o seu projeto personalizado mais desafiante de sempre, obrigando a dois anos de trabalho de desenvolvimento e de criatividade.

Com um elevado nível de trabalho artesanal, o Chiron Super Sport ‘Golden Era’ recorre a novas técnicas para estabelecer novos padrões na personalização dos seus automóveis ao abrigo do programa ‘Bugatti Sur Mesure’ que preconiza trabalhos de criatividade conjunta no desenvolvimento de veículos especiais ao gosto de cada comprador.

Neste caso, um colecionador da Bugatti com grande carinho pela história da marca e pelo motor W16 quis celebrar esse mesmo legado do bloco de combustão com uma série de desenhos intrincados expostos na carroçaria, cada um com um significado específico quanto ao passado da marca. No lado do passageiro encontram-se 26 esboços feitos à mão que revelam ícones como o Type 41 Royale de 1926, ou o Type 57 SC Atlantic, visto pela marca como o carro mais bonito alguma vez produzido.

Do lado do condutor, há menos esboços: apenas 19. Mas cada um retrata o sucesso do renascimento da Bugatti desde 1987, com modelos como o EB110, o Veyron e o Chiron. Não falta, também, uma representação simples dos 3712 componentes individuais que compõem o motor W16. Para dar ainda mais relevo a essa homenagem, foi criada uma cor à medida, com uma tonalidade dourada (daí a denominação ‘Doré’) que foi aplicada ao automóvel num cor progressiva em combinação com uma variante de pintura metalizada em preto (‘Nocturne Black’) para um contraste aprimorado e único.

“Os nossos clientes conseguem ser incrivelmente criativos e temos muito orgulho em ajudá-los a tornar realidade os seus sonhos, mas pedidos amplamente especiais como este são extremamente raros – geralmente, não vemos mais do que uma ou duas criações desta escala por ano”, refere Achim Anscheidt, anterior Diretor de Design da Bugatti agora encarregue destes projetos especiais. “Dada a visão e a natureza muito concreta deste projeto – e o conjunto de ideias fantásticas que quisemos concretizar – o ‘Golden Era’ é provavelmente o trabalho de personalização mais exigente em que eu e a minha equipa alguma vez trabalhámos”, acrescentou.

Anscheidt afirma ainda que a utilização dos lápis verdadeiros utilizados para desenhar os carros nos esboços em papel foi essencial para dar a este Chiron Super Sport uma autenticidade única: “Qualquer outra coisa iria resultar em algo com um aspeto falso ou de baixa qualidade. Tivemos de encontrar um processo que nos permitisse utilizar os lápis e fazer todos os esboços à mão, diretamente na pintura da carroçaria”.

Naturalmente, este processo revelou-se moroso e, segundo a Bugatti, não sem contrariedades, mas através de novos processos (e de mais de 400 horas de trabalho), foi possível ter todos os esboços desenhados na carroçaria deste Bugatti.

Se o exterior foi trabalhoso, a marca garante que o interior não foi menos exigente, conseguindo assim uma celebração especial do legado da Bugatti. Em cada painel das portas, estão três ícones da marca, aplicados à mão, com tinta e pincéis específicos que permitiram à equipa de design desenhar diretamente no revestimento em couro. Há também aplicações ‘Golden Era’ nos encostos de cabeça dos bancos e soleiras das portas com menções aos dois períodos áureos da marca: ‘1909-1956’ e ‘1987-2023’.

Há depois diversos outros detalhes especiais a bordo que identificam este modelo como um exemplar único, com o proprietário a tomar posse do ‘Golden Era’ na próxima Semana Automóvel de Monterey.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.