À medida que os automóveis elétricos se tornam mais vulgares, os automobilistas vão começar a fazer perguntas que demonstram interesse em ser donos de um carro deste género a longo prazo. A questão mais importante é, como sempre, quanto custa a manutenção normal do carro, e o que é que vai ter mais tendência para avariar. Felizmente, a parte com mais probabilidade de avariar, o motor de combustão, já não está lá, pelo que aqui os custos caem bastante, sendo possível ser dono de um Tesla e não gastar mais de 3000 euros em quatro anos.

Sem motor, não é preciso mudar o óleo, nem os filtros, nem velas, nem correias de distribuição. No entanto, é preciso ter o cuidado normal com os elementos do chassis, nomeadamente o alinhamento das rodas, lubrificação e pastilhas dos travões (ainda que a recuperação energética permita poupar bastante nesta área), o desgaste dos pneus, as escovas do limpa-para-brisas e, muito importante, a pilha do comando à distância, sem o qual basicamente nem vai conseguir entrar no carro.

De resto, as atualizações do sistema são feitas automaticamente sem necessidade de se deslocar a uma loja Tesla. As visitas podem ser anuais ou ocorrer a cada 20 mil quilómetros. É possível escolher uma modalidade de pagamento anual que permite pagar 500 a 675 euros no primeiro ano (conforme o modelo) até um máximo de 925 a 1050 € no quarto. Em alternativa, pode pagar imediatamente um serviço a quatro anos, que vai dos 2500 euros no Model S de tração traseira aos 2975 euros no Model X de tração integral. Teoricamente, em caso de avaria, o sistema já fez o diagnóstico e a loja Tesla terá as peças prontas para reparação antes do condutor chegar.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.