Rinspeed Snap: O protótipo mais estranho e futurista do CES

Pedro Junceiro
Pedro Junceiro
Editor Conteúdos

A Rinspeed, preparadora suíça que tem ganho destaque com alguns protótipos futuristas impressionantes, revelou na Feira de Eletrónica de Consumo (CES) deste ano a sua visão para carros com um conceito de peças atualizáveis para se adaptara a diferentes necessidades.

O Snap mostra como poderá ser um carro do futuro no qual é possível alterar algumas das peças consoantes as necessidades, mantendo a sua estrutura inalterada ao nível do habitáculo. Com isso, a marca pretende que a atualização de componentes seja muito mais fácil, ao mesmo tempo permitindo uma maior flexibilidade de transporte e de funcionamento.

O responsável da Rinspeed, Frank M. Rinderknecht concebeu o ‘hardware’ e o ‘software’, o qual pode ficar rapidamente obsoleto, sendo parte do chassis (entendido como um ‘skate’), separando-se da célula de passageiros mais durável (‘pod’). Esta última pode mesmo ser utilizada de forma totalmente independente quando o veículo está parado, desde um ponto de compras, a uma cápsula de campismo…

Ou seja, a base seria sempre a mesma, tendo um formato e ideologia prática semelhante à de um skate na qual bastaria montar uma outra peça. Nessa base estaria o chassis com um motor elétrico agregado capaz de debitar 51 kW de potência, valor considerado suficiente para uma utilização citadina, para a qual este veículo está pensado e focado. Exemplo disso é o sistema direcional nas quatro rodas, que permite que possam girar de forma independente para auxiliar nas manobras urbanas. A Rinspeed aponta uma velocidade máxima em torno dos 80 km/h.

Sendo um protótipo de condução autónoma pensado para deslocações urbanas, este Rinspeed Snap conta com uma premissa interior bastante distinta, apostando num conceito de sala de estar que pode albergar quatro adultos com ecrãs disponíveis para cada um deles. Até mesmo as janelas estão desenhadas para funcionarem como ‘telas’ capazes de divulgar mensagens, tanto para os passageiros, como para quem está de fora. Naturalmente, num protótipo tão avançado, a marca não esqueceu a ligação Wi-Fi para diversos aparelhos.

Mais importante para muitos dos que temem os germes e bactérias dos transportes públicos seria a iluminação ultravioleta capaz de eliminar os elementos nocivos no habitáculo. Outros conceitos importantes deste modelo seriam a assistência em termos de saúde com elementos capazes de ler, por exemplo, os batimentos cardíacos dos ocupantes e pequenas hortas de frutos que, depois, poderiam ser transformados em batidos de fruta…

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.