O robô mais ‘querido’ do mundo vai reformar-se

Pedro Junceiro
Pedro Junceiro
Editor Conteúdos

A Honda deverá colocar um ponto final no programa Asimo, que foi considerado por muitos como um dos robôs mais queridos do mundo, sobretudo, pelo seu perfil humanóide e afável. Com capacidades avançadas de interação com os seres humanos, o Asimo tem um longo historial, desenvolvido com o intuito de mostrar os progressos da Honda na área da robótica.

A informação é avançada pelo jornal Nikkei Asian Review, que dá conta da intenção de descontinuar o programa do Asimo muito em breve, com essa decisão a assentar na ausência de desenvolvimentos relevantes e na possibilidade de comercialização praticamente inexistente. Nem tudo estará perdido, no entanto, uma vez que as suas tecnologias deverão continuar a ser utilizadas noutras áreas, nomeadamente na da condução autónoma.

Para o efeito, serão utilizados muitos dos avanços em termos de sensores e automação do Asimo, que conseguia reconhecer obstáculos e desviar-se dos mesmos ou interagir com eles. Outra área em que a tecnologia do Asimo poderá ser bastante útil é na da criação de dispositivos para auxílio à locomoção de pessoas ou idosos.

A este respeito, a Honda tem levado a cabo grandes desenvolvimentos na área de reabilitação com técnicas de terapia em que um dispositivo robotizado que melhora a capacidade de andar de pessoas com dificuldades de locomoção.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.