A função Autopilot dos carros da Tesla é bastante prática para andar no meio do tráfego. Com o sistema ativado, ele consegue acelerar e travar dependendo da distância para o carro da frente, mudar de faixa, reconhecer a presença de objetos na estrada e até faz paragens de emergência. Mas isso não significa que o carro anda sozinho. E não pode usá-lo para ir para casa sob a influência de álcool, como fez o proprietário de um Tesla em San Francisco, nos Estados Unidos.

Este tinha sido encontrado pela polícia parado na Ponte da Baía, a ligação direta entre San Francisco e Oakland, na Califórnia, desmaiado ao volante e causando uma fila de trânsito às 17h30. Quando foi acordado, o condutor disse que “está tudo bem, porque ia com o Autopilot”, tendo sido detido depois de se verificar que estava com o dobro do limite de álcool no sangue permitido. O departamento de polícia fez uma piada no Twitter sobre o carro ser rebocado e não se conduzir sozinho ao parque de carros apreendidos.

Obviamente, o Autopilot não é um piloto 100 por cento automático, estando apenas no nível 3 de automação. O sistema da Tesla só tem que ser conduzido normalmente a maior parte do tempo, as funções do Autopilot são limitadas e exigem a presença das mãos do volante, razão porque este Tesla parou quando o condutor desmaiou. Os carros de nível 5, com automação total, ainda estão em fase de pesquisa, e mesmo que já pudessem ser usados normalmente pelo público, ainda não existe uma moldura legal para o seu uso sem responsabilidade do condutor.