24h de Le Mans: 2018 correu mal a Portugal

Não foi claramente um ano bom para as cores portuguesas em Le Mans, já que tanto Filipe Albuquerque (#22), como António Félix da Costa (#82), Pedro Lamy (#98) e a Algarve Pro Racing, abandonaram a corrida.

Filipe Albuquerque, que teve a seu lado no Ligier JS P217 #22 da United Autosports, Phil Hanson e Paul di Resta, perderam algum tempo nas primeiras horas, quando caíram de nono para 15º, mas foram recuperando, o que fizeram até ao quarto lugar. Mas a cinco horas do fim, um acidente de Paul di Resta nas Curvas Porsche acabou com a história.

António Félix da Costa, Augusto Farfus e Alexander Sims estavam a realizar uma boa prova, bem acima do que esperavam os observadores, já que esta foi a estreia do BMW M8 GTE mas o #82, já depois de ter tido graves problemas com os amortecedores, facto que lhes custou cerca de duas voltas, na 16ª hora, Alexander Sims teve um acidente nas Curvas Porsche e os danos redundaram na desistência.

Pedro Lamy voltou a Le Mans, com os seus habituais colegas de equipa no WEC, Paul Dalla Lana e Mathias Lauda. Apesar de partir atrasado, o Aston Martin Vantage #98 estava a andar bem, até que Dalla Lana saiu de pista nas Curvas Porsche, na sétima hora de corrida, batendo com força nas barreiras. Não demorou muito até que se ficasse a saber que o carro já continuaria na corrida.

A equipa portuguesa Algarve Pro Racing, que tem vários mecânicos portugueses na equipa e o seu mentor, Simon Cox, a viver em Portugal, voltou a Le Mans com o seu Ligier JS P217 Gibson, mas o #25 de Mark Patterson, Ate de Jong e Tacksung Kim, tiveram muitos problemas. Ainda estavam na 17ª posição, entre 20 LMP2 na sexta hora, mas caíram para a 20ª posição e abandonaram poucos depois.

José Luis Abreu/Autosport