Álvaro Parente foi sexto na Nova Zelândia

Álvaro Parente terminou no sexto posto a corrida de Hampton Downs International Motorsport Park, Nova Zelândia, onde se realizou este domingo a terceira etapa do Campeonato Australiano de Endurance.

O português, que fez equipa com Fraser Ross aos comandos do McLaren 650S da YNA Autosport/McElrea Racing, assinou o segundo crono no “Top 10 Shootout”, evidenciando a competitividade do carro britânico, mas toda a equipa antecipava uma corrida difícil, devido a diversos factores.

Por um lado, o GT número cinquenta e oito era alvo de um pesado handicap, que o deixava numa situação complicada face aos seus adversários, por outro lado, o regulamento desportivo implica paragens nas boxes obrigatórias para reabastecimento em momentos definidos da prova, o que não se coadunava com a autonomia da máquina britânica.

Ainda assim, o McLaren 650S dividido pela dupla luso-australiana esteve na luta pela liderança ao longo da primeira parte da corrida, mas quando todos os factores entraram no cenário, foi impossível melhor que o sexto lugar final. “Mostrámos que podemos ser competitivos, como evidencia o resultado na qualificação e o início da prova, mas com tantas contrariedades, era complicado podermos estar na luta pelos lugares do pódio até ao final. Fizemos o máximo com tudo o que estava ao nosso alcance – a equipa e o Fraser estiveram muito bem – mas o regulamento desportivo é-nos muito desfavorável. Julgo que no fim, acabou por ser uma grande performance de todos – pilotos, equipa e carro”, afirmou Álvaro Parente.

Depois de ter estado na luta pela pole-position, assegurando o segundo lugar na grelha de partida, e de estar na batalha pelos lugares da frente de uma corrida de uma competição que desconhecia num circuito que nunca tinha visto, o piloto oficial da McLaren GT faz um balanço positivo da sua estreia no Campeonato Australiano de GT. “Foi uma experiência fantástica – conheci um novo campeonato, uma pista desconhecida num país onde nunca tinha competido. É claro que, quando entro num carro, o objectivo é vencer, mas atendendo a todas as circunstâncias, lutar pela pole-position e mostrar andamento para lutar pelo pódio com tantas incógnitas por definir é muito positivo”, concluiu Álvaro Parente.

O português continua na Nova Zelândia, onde dentro de duas semanas disputa a Highlands 501, prova que termina o Campeonato Australiano de Endurance.