Autódromo do Algarve pronto para receber a Fórmula 1

Ross Brawn deu o mote, ao dizer que seria interessante um Grande Prémio de Fórmula 1 extra-campeonato, por ano para testar ideias para os fins-de-semana de Grandes Prémios. E se essa corrida fosse no Autódromo Internacional do Algarve? O circuito está pronto. Agora ainda mais pois a FIA deu hoje à pista a homologação máxima. Venham eles que já os podemos receber: ”O Autódromo Internacional do Algarve obteve hoje, por parte da Federação Internacional do Automóvel (FIA), homologação máxima, Grau 1. É com enorme orgulho que recebemos o grau máximo, que nos possibilita receber corridas do Grande Prémio de F1”, anunciaram os responsáveis pela pista na sua página de facebook.

As corridas extra-campeonato não são uma novidade na Fórmula 1, tendo-se disputado até ao final de 1983, mas estas eras provas que surgiam do interesse suscitado pelos media e adeptos britânicos num período em que existiam menos provas por temporada da categoria máxima do desporto automóvel e era muito mais barato colocar os monolugares de Grande Prémio em pista.

Mas os planos de Brawn são diferentes…
Nos últimos anos têm existido diferentes correntes que apontam para a necessidade de uma alteração no formato dos fins-de-semana de Grandes Prémios, havendo quem defenda que deveria passar haver corridas mais curtas.

Por outro lado, há quem também defenda a redução do fim-de-semana de três dias para dois, o que tem colhido alguma resistência da parte dos organizadores de corridas.
Brawn está aberto a modificações no formato do fim-de-semana de Grande Prémio, mas não pretende conduzir experiências em provas do campeonato, querendo implementar, se for caso disso, uma solução comprovada e é aqui que entram as provas extra-campeonato.

Um Grande Prémio sem a carga do Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1 daria aos homens da Liberty Media a liberdade de avaliarem novas soluções para os eventos oficiais, sem que tivessem que ficar reféns delas para uma temporada inteira. “O meu sonho, na verdade, seria termos uma corrida fora do campeonato uma vez por ano. Numa corrida fora do campeonato poderíamos realizar experiências.(…) Permitir-nos-ia variar o formato e experimentar algo diferente e evoluir. Afinávamos o conceito. Poderíamos torná-lo melhor e concluir ‘na verdade, isto é melhor do que aquilo que temos. Os adeptos adoram-no. Vamos mudar’”, afirmou o inglês, que acrescentou: “Não podemos correr o risco de trocar o formato durante o campeonato de forma errada. Fico um pouco nervoso com isso. Quando começamos a mudar o formato, temos que ter a certeza de que o fazemos de forma correcta. Quando iniciamos um campeonato com um formato, não o podemos alterar durante o ano ou não o deveríamos alterar durante o ano”.

AIA Portimao (4)Uma prova extra-campeonato teria que ser realizada antes do início da temporada oficial, uma vez que, depois da derradeira corrida da época, estamos já em dezembro e todos os envolvidos no circo da Fórmula 1 estão desgastados de todas as viagens e de um campeonato extremamente exigente.
Fevereiro seria o mês ideal para uma prova nestes moldes. As equipas estariam a prepara-se para mais uma temporada e esta seria uma forma de preparar as suas equipas de mecânicos para a pressão oferecido por um fim-de-semana de corridas.

O local, no entanto, teria que obedecer as três condições prioritárias: realizar-se num circuito com bom tempo em Fevereiro, que fosse próximo das bases das equipas e perto do Circuit Barcelona – Catalunya, onde se realizam tradicionalmente os testes de Inverno. Estas características assentam que nem uma luva no Autódromo Internacional do Algarve.

O traçado português está a mil e duzentos quilómetros da pista catalã e a três horas de avião das bases das equipas de Fórmula 1. No que diz respeito a questões climatéricas, apesar do improvável mau-tempo que se abateu sobre o AIA sempre que a Fórmula 1 o visitou, o Algarve é ainda conhecido pelo Sol e pelas temperaturas amenas que oferece aos seus visitantes, mesmo no Inverno. É evidente que a ideia está ainda numa fase embrionária, mas uma prova de Fórmula 1 em Fevereiro seria também uma mais-valia para a região turística do Algarve, que em Fevereiro está a passar por um período de época baixa.

Paulo pinheiro AIA Portimnao (1)Paulo Pinheiro, o CEO do Autódromo Internacional do Algarve, reconhece as vantagens de uma corrida de Fórmula 1 nestes moldes para toda a região e para o circuito. “Uma corrida de Fórmula 1 será sempre muitíssimo bom e interessante, seja para nós circuito seja para o turismo, já que o impacto económico é enorme e a exposição mediática também, especialmente numa época turística mais baixa como Fevereiro, sem qualquer sombra de duvida”, afirmou ao Autosport.

No que diz respeito ao circuito em si, Pinheiro aponta que toda a estrutura está dimensionada para um Grande Prémio do Fórmula 1: “O circuito e as nossas infraestruturas estão prontos, ainda para mais agora com o hotel em funcionamento, temos todas as condições para receber uma corrida de Fórmula 1”, afirmou o líder do AIA que entretanto recebeu a nova homologação para Fórmula 1, pois as regras mudaram substancialmente.

É evidente que terá sempre que existir vontade política para que se possa sonhar sequer com uma prova de Fórmula 1, ainda que extra-campeonato, no Autódromo Internacional, mas durante um discurso de inauguração do hotel situado nas imediações do circuito algarvio, em Setembro último, António Costa foi desafiado por Isilda Gomes, Presidente da Câmara Municipal de Portimão, a trabalhar para levar um Grande Prémio até ao AIA e o Primeiro-Ministro de Portugal não foi completamente antagónico à ideia: ”o que nos propôs é bastante aliciante, bastante empolgante, vale a pena prosseguir o trabalho”. Para já tudo isto não passa de conjeturas, até por que, a oportunidade ainda não surgiu de facto, uma vez que foi apenas uma ideia atirada para a mesa por Brawn, mas as condições existem no Algarve, resta as autoridades competentes aproveitaram, caso a ocasião apareça.

José Luis Abreu