CPR/Rali dos Açores: Boas lutas entre os portugueses

Na luta do Campeonato de Portugal de Ralis, Ricardo Moura lidera a competição reservada aos pilotos que estão inscritos no CPR, com 10.5s de avanço para Bruno Magalhães.

Bernardo Sousa é para já terceiro do CPR, está inscrito no campeonato, apesar, como se sabe de em teoria ir fazer só o CRA. O piloto do DS3 R5 está muito perto de Bruno Magalhães.

Mas a ‘verdadeira’ luta do CPR está daí para trás e se Moura, Magalhães e Sousa não continuarem no CPR – como parece ser o que vai acontecer, pelo menos é isso que tem sido referido – quem está para já melhor colocado é Ricardo Teodósio, que tem uma vantagem de seis segundos para Zé Pedro Fontes, que teve problemas com a válvula pop off do turbo do seu Citroën DS3 R5, o que naturalmente tira potência ao motor do carro. Com tudo isso, o piloto da Citroën Vodafone Team tem Carlos Vieira apenas 1.6s mais atrás, num grupo que deverá continuar a fazer uma corrida a uma certa distância dos pilotos que estão para já na frente desta classificação.

De seguida estão classficados Joaquim Alves (Ford Fiesta R5) que tem o jovem Pedro Almeida (Ford Fiesta R5) não muito longe, a cerca de doze segundos. Diogo Salvi (Škoda Fabia R5) está apagado face ao que já lhe cimos fazer a está a 0.3s de Pedro Almeida, com Aloísio Monteiro a descobrir o seu novo Škoda Fabia R5.

O azarado do dia é Manuel Castro (Hyundai i20 R5), que penalizou porque o carro não pegou à saída do parque de assistência: “Não começou bem para nós, pois ainda antes de sairmos para a primeira especial, tivemos um problema que fez com que o carro não arrancasse, ainda na assistência. Conseguimos resolver o problema, mas penalizámos 2m20s. É muito azar”, disse.