CPR/Rali de Mortágua: Prognósticos? Sábado ao fim do dia…

O Campeonato de Portugal de Ralis regressa com o Rali de Mortágua, terceira prova duma competição em que dois dos três primeiros classificados do campeonato já não voltam. Confuso? Nós explicamos…

Está de volta o Campeonato de Portugal de Ralis, uma competição que regressa este fim de semana à ‘normalidade’, depois de dois eventos marcantes, por motivos distintos.

Tendo em conta os problemas porque passa a velocidade nacional este ano, os ralis parecem ser um oásis num país em que não é fácil reunir meios para correr ao mais alto nível, e a verdade é que em Fafe estiveram presentes 21 R5. Nos Açores, excetuando os ‘internacionais’, foram 15 os R5 ligados às competições lusas, e agora em Mortágua a competição vai ser uma espécie de azeite na água, a ‘verdade’ virá ao cimo.

E dizemos ‘verdade’ porque é agora que as lutas pelo campeonato se vão intensificar, depois de terem ficado de fora da prova açoriana nomes como Miguel Barbosa, Pedro Meireles e Armindo Araújo, ou fora dos pontos como foi o caso de José Pedro Fontes, pois não ‘nomeou’ essa prova.

Tal como se esperava, e depois de ter vencido as duas primeiras provas do campeonato no que à competição nacional diz respeito, Ricardo Moura já não irá a Mortágua, idem aspas ao Rali de Portugal, e se aparecer em alguma (ou algumas) provas daí para a frente ainda pode ter alguma coisa a dizer na luta pelo título. Mas o mais provável é não regressar…

Também Bruno Magalhães não tem intenções de disputar qualquer outra prova do CPR, e embora esteja neste momento em terceiro do campeonato, não deverá voltar a fazer parte deste ‘filme’. João Barros também já tinha avisado que só iria fazer algumas provas, e ortágua não é uma delas…

Portanto, de repente, ficámos sem o primeiro e terceiro atuais classificados do CPR. Na chegada a Mortágua os pilotos encontram-se ainda muito ‘juntos’, com apenas 10 pontos de diferença a separarem Pedro Meireles de Carlos Vieira (o piloto da Hyundai esteve nas duas provas). A isto junta-se o regresso de três nomes fortes: Miguel Barbosa, Pedro Meireles e Armindo Araújo. Ingredientes mais que suficientes para deixarem antever um rali super competitivo, já que vamos ter todos os mesmos protagonistas da prova de Fafe… exceto o vencedor!

Neste contexto, é claro que a prova de Mortágua será muito importante nas contas do campeonato pois vai ajudar a definir melhor com o que contar daqui para a frente.

Outro ponto interessante desta prova é a presença dos dois pilotos do programa de jovens pilotos (Rally Challenge Program) da Toyota Gazoo Racing, os juniores Takamoto Katsuta e Hiroki Arai, que marcam presença como preparação para o Rali de Portugal, sendo eles também um bom tónico para os pilotos portugueses. O ano passado, Craig Breen arrasou por completo a concorrência, mas estes dois jovens japoneses estão noutro patamar. Resta saber qual, mas desconfiamos que tendo em conta o seu nível atual, podem perfeitamente lutar pelos lugares cimeiros do Rali de Mortágua.

Regressos sonantes

Depois de ter brilhado na prova de abertura em Fafe, Miguel Barbosa chega a Mortágua confiante, embora esta seja uma prova bem distinta, e se olharmos para o que fez Barbosa o ano passado em Mortágua, fica por saber se teremos o piloto de Fafe, ou não.

Pedro Meireles é outro dos pilotos a quem a prova de Mortágua do ano passado não correu bem, pois foi ali que começou a perder o campeonato para Carlos Vieira, ao sair derrotado por um piloto que se estreava com um carro que nunca tinha guiado.

Por fim, Armindo Araújo, que regressa a pisos em que já não roda há muito. Se a isto juntarmos a menor apetência do Hyundai i20 R5 para os pisos mais duros de terra, então teremos, provavelmente, mais uma prova em que o piloto da Hyundai irá conter ao máximo os danos, a não ser que tire um coelho da cartola. Pelo que se viu em Fafe, não será fácil, mas Fafe foi há dois meses!

A afinar pelo mesmo diapasão estará Carlos Vieira, que apesar de ter vencido esta prova o ano passado, com o Skoda Fabia R5, carro que está ‘provado e comprovado’, na terra e com o Hyundai i20 R5 resta-nos esperar para ver o que pode fazer.

Mas houve trabalho dos homens da equipa oficial da Hyundai neste hiato, pelo que algo pode ter mudado. Este será outro dos pontos de interesse da prova do CAC.

José Pedro Fontes despede-se em Mortágua do Citroën DS3 R5, e pretenderá fazê-lo com a melhor classificação possível, havendo claramente que contar com ele para as lutas na frente.

Ricardo Teodósio esteve azarado em Fafe, mas foi terceiro no CPR nos Açores, e fê-lo fruto de um andamento interessante que lhe pode ter dado outro ritmo para Mortágua, que no entanto é um rali que simplesmente não conhece! A última vez que o disputou foi em 2014, de Mitsubishi, e isso vai notar-se.

Manuel Castro é outro dos pilotos que se pode imiscuir nos lugares da frente, o mesmo sucedendo com Joaquim Alves, que corre com um carro novo, um Skoda Fabia r5 e também novo navegador, António Costa, que bem conhece a bacquet em que se vai sentar, já que o Fabia é precisamente o de Ricardo Moura nos Açores.

Nas duas rodas Paulo Neto lidera o campeonato, mas Pedro Antunes, que venceu em Fafe, não pontuou nos Açores. Só a partir de Mortágua a competição ficará mais clara em termos de quem são os principais favoritos.

Águeda é novidade

Uma dupla passagem pela super especial de Águeda Street Stage travocar é a grande novidade da prova do CAC, que depois da habitual super especial em redor da vila de Mortágua e Vale de Açores, terá no dia seguinte duplas passagens por Gândara-Calvos, Póvoa do Sebo e Felgueira, numa prova que pontua para o Campeonato Portugal de Ralis, Taça FPAK de Ralis e Campeonato Centro de Ralis.

Outra das boas novidades é a presença do saudita Yazeed Al Rajhi, que vai marcar presença na prova do Clube Automóvel do Centro para conduzir um Ford Fiesta RS WRC como carro zero.

Lista de Inscritos CPR – CLIQUE AQUI
Lista de Inscritos – Taça FPAK de Ralis – CLIQUE AQUI
Lista de Inscritos Campeonato Centro de Ralis – CLIQUE AQUI

Horário
Sexta-Feira (27 de abril)
16:10 Partida de Mortágua
17:50 Reconhecimento Águeda Street Stage/Travocar
19:30 1ª PE A – Águeda Street Stage / Travocar (2,59 km)
19:45 1ª PE B – Águeda Street Stage / Travocar (2,59 km)
21:10 2ª PE – Super Especial de Mortágua (2,06 km)
Sábado (28 de abril)
9:35 Partida de Mortágua
10:25 3ª PE – Gândara/Calvos 1 (11,67 km)
10:50 4ª PE – Póvoa do Sebo 1 (15,99 km)
11:33 5ª PE – Felgueira 1 (17,98 km)
12:23 Parque de Assistência (Mortágua)
14:01 6ª PE – Gândara/Calvos 2 (11,67 km)
14:26 7ª PE – Póvoa do Sebo 2 (15,99 km)
15:09 8ª PE – Felgueira 2 (17,98 km)
16:02 9ª PE – Gândara/Calvos 3 (11,67 km)
16:38 Entrada no Parque de Assistência E
17:03 Chegada a Mortágua