F1: Asas de 2019 testadas na Hungria

31/07/2018

Iniciou-se hoje, na Hungria, o primeiro dia de testes para as equipas, antes das férias de Verão. As equipas aproveitaram para testar as novas asas que serão implementadas a partir de 2019.

As asas para 2019 são mais largas e mais simples, sem os complexos arranjos que permitem direccionar o ar para as áreas pretendidas pelos engenheiros. Um dos problemas dos carros desta geração é que dependem muito das asas dianteiras para terem uma boa performance. A principal função da asa dianteira e direccionar o fluxo de ar para o fundo plano e, principalmente, à volta dos pneus, de forma a minimizar a turbulência criada nessa zona. Para conseguir esse efeito, os engenheiros criam poderosos vórtices, que são uma das formas mais eficientes de direccionar o ar, mas esses vórtices vão afectar o carro perseguidor e é por isso que ouvimos os pilotos a dizerem que deixam sempre 2 segundos de distância entre os carros, pois uma aproximação significa que o fluxo de ar que chega a asa do perseguidor vem ainda afectado pelo carro da frente e que a performance do carro fica severamente afectada.

Com estas novas asas, mais largas e mais simples, espera-se que esse efeito seja minimizado. O aumento da largura das asas permite que o ar seja desviado das rodas sem a necessidade de criação de vórtices. o que tornará o ar que chega ao carro perseguidor mais “limpo”, esperando-se assim que as performances não fiquem tão afectadas e que possamos ter mais lutas directas em pista.

Essa maior simplicidade pode ser vista nas asas mostradas hoje, como a da Force India por exemplo, muito diferente da usada no fim de semana. 2019 já começa a tomar forma.

Asa usada pela Force India no fim de semana passado: