Por meio ponto Carlos Vieira é o novo Campeão Nacional de Ralis

Carlos Vieira e Jorge Carvalho sagraram-se Campeões Nacionais de Ralis, com um exemplar triunfo no Rali Casinos do Algarve. O piloto do Citroën DS3 R5 foi o mais rápido e só não venceu dois troços do rali, sendo que, se virmos apenas as contas do CNR, só falhou a vitória em dois troços.

Vieira chegou ao Algarve com 8.34 pontos de desvantagem para Pedro Meireles, mas as vitórias nos troços, além do triunfo no rali, deram o merecido título, por menos de um ponto, a Vieira. Meireles terá assim de se contentar com o segundo lugar final, tal como na temporada passada.

Se a vitória no rali sempre esteve entre as previsões dos principais observadores, já o triunfo no número de classificativas necessário para suplantar o atraso pontual que tinha era tarefa bem mais complicada, mas Carlos Vieira realizou uma prova a todos os níveis excecional, cometendo apenas um erro num troço, e perdendo 20 segundos. No final, assegura o título por… meio ponto! Uma novidade absoluta no Campeonato Nacional de Ralis…

A prestação de Pedro Meireles tem de ser vista face à que realizou Vieira. Se esta prova tivesse sido na terra outro galo cantaria, mas terá sido em Mortágua que Meireles perdeu o campeonato. Ao permitir que um piloto com um carro que não conhecia o batesse onde o seu Skoda Fabia R5 é mais forte, foi-lhe fatal. Abriu a porta, e Vieira escancarou-a agora no Algarve. Tinha que ter feito mais e em 13 classificativas, nunca esteve sequer perto de incomodar Vieira. Talvez tenha pensado que este não conseguiria vencer tantos troços, mas não foi isso que aconteceu.

Pedro Meireles terminou o rali em quarto da geral, segundo dos portugueses, sendo que Ricardo Teodósio foi sétimo e venceu entre os RC2N no seu Mitsubishi Lancer Evo X.

Diogo Gago venceu as duas rodas motrizes e foi oitavo da geral com o Peugeot 208 R2, com o madeirense Pedro Paixão a levar o seu Renault Clio R3T ao nono lugar da geral e ao segundo das 2WD. No Campeonato Nacional de Ralis de Duas Rodas Motrizes, Pedro Antunes assegurou o título, que já estava ‘preso’ por muito pouco, sendo que no último troço ainda chegou à dianteira nos concorrentes do CNR2, já que Gil Antunes perdeu tempo. Do European Rally Trophy falaremos em artigo separado.