Rali da Austrália: Hyundai dita as regras nos antípodas

A segunda secção do Rali da Austrália foi totalmente dominada pela Hyundai. Depois da superioridade de Andreas Mikkelsen, que foi o mais rápido nos três troços que abriram a última ronda do WRC 2017, agora o norueguês teve de partilhar essa supremacia com Thierry Neuville.

Na segunda passagem pelos troços de Pilbara, Eastbank e Sherwood, Mikkelsen estabeleceu o melhor tempo no primeiro e no terceiro troços, enquanto o belga ficou com a melhor marca no segundo.

Perante este domínio, Andreas Mikkelsen coloca o seu i20 WRC na frente da classificação geral com 20,9 segundos de vantagem sobre Citroën C3 WRC de Kris Meeke. O britânico ainda não conseguiu vencer uma classificativa e já teve, inclusive, alguns percalços. Mas isso não o impede de seguir no segundo posto. Thierry Neuville está a subir de produção e ocupa o terceiro lugar. Está a 23,1 segundos do seu companheiro de equipa e pressiona Meeke, pois está a apenas 2,2 segundos de diferença.

O campeão do mundo, Sébastien Ogier, continua com problemas no selector da caixa de velocidades. Logo no final do primeiro troço da tarde explicou que “é inconsistente” e que tão depressa está tudo bem, como começa a sentir dificuldades. Na especial seguinte, disse que “é algo electrónico”. Por isso, o francês da M-Sport não vai além do oitavo lugar na classificação geral, a 48,1 segundos de Mikkelsen. Além disso, Ogier também acabou Pilbara II sem o difusor do seu Fiesta, algo que já aconteceu a mais pilotos, nomeadamente ao companheiro de equipa do gaulês, Ott Tanak.

O estónio não vai além do sexto lugar da classificação geral e procura manter o carro na estrada porque tem falta de apoio aerodinâmico no carro, o que o condiciona. Jari-Matti Latvala é o melhor dos Toyota e quarto na classificação. O finlandês começou por bater com o Yaris “ao terceiro quilómetro” do primeiro troço da tarde mas segue em prova. A maior dificuldade está “nos pneus duros”, explica, que escolheu para fazer esta secção. Latvala sente, em determinadas zonas, falta de tracção. Ainda assim, recuperou durante a tarde e já passou Craig Breen.

No segundo Citroën, Breen é quinto a 31,1s de Mikkelsen e a apenas 0,7 segundos de Latvala. O piloto do construtor francês passou por um susto no terceiro troço da tarde. “Tive uma má sensação no início da especial. Uma má vibração. Bati num fardo”, explicou.