Rali de Monte Carlo: Ogier e Tanak separados por 33,5 segundos…

Bela prova está a ser este Rali de Monte Carlo, com imensas histórias para contar, num rali que apesar de os dois primeiros da classificação geral rumarem ao derradeiro dia de prova separados por 33.5s, nada ainda está decidido.

Depois de ter começado o dia a 14.9s de Sébastien Ogier, Ott Tanak ‘sujou um pé todo’ ao não conseguir fazer melhor do que perder 1m25.7s para o mais rápido nessa especial, Andreas Mikkelsen. Mas sendo verdade que o piloto da Hyundai nada tinha a perder, o facto do estónio ter perdido mais de um minuto para Ogier pode ter sido o momento chave deste rali. É verdade que o troço estava muito complicado, Ogier disse que foi dos piores da sua vida, e Tanak nada quis arriscar, dizendo no final que cada vez que tentava andar um pouco mais depressa ficava mais perto de sair de estrada.

Ogier saiu desse troço com um avanço de 1m18.4s e depressa entrou em ‘modo Ogier’, ou seja, a controlar, a gerir. E chega ao fim do dia com 33.5s de avanço. Se olharmos pelo prisma de Tanak, depois desse primeiro troço do dia, recuperou de 1m18.4s para 33.5s, foi bom, mas é Ogier quem parte para o último dia na mó de cima. Mas com um ‘nuance’…

É que Ogier tem atrás de si três Toyota, e a equipa pode perfeitamente fazer Tanak atacar que ‘nem um louco’, pressionando Ogier, e mesmo se a ‘coisa’ não correr bem, logo atrás na classificação há mais dois Toyota para o que der e vier, e os pontos para a equipa são assegurados na mesma. Tem muito a ver com Tanak e ou Makinen quererem o tudo ou nada. Mas há mais…

Se os troços estiverem complicados em termos de escolhas de pneus, a Toyota pode ainda arriscar tudo com Latvala ou Lappi, especialmente o primeiro, e como todos sabemos, os pneus em Monte Carlo podem ser decisivos.

Portanto, e para fechar este capítulo, Ogier tem tudo para vencer novamente o Monte Carlo, mas ainda não pode festejar, pois Tanak e a Toyota têm ainda uma palavra a dizer. Contudo, o mais provável é que a Toyota se contente com este excelente resultado de conjunto, que valha a verdade é excelente, mas isso é o pior que pode acontecer a este rali amanhã. E depois ainda há os pontos da PowerStage, que não são de descurar…

Dois Toyota no pódio… é quase certo

Tendo em conta a existência de três Toyota atrás de Ogier, é quase certo que o pódio vai fechar com dois Toyota, em condições normais, claro. Latvala está a um minuto de Tanak, Lappi a três minutos de Latvala, mas com Kris Meeke dois segundos mais atrás. Elfyn Evans está mais vinte atrás do homem do Citroën pelo que aqui ainda se desenha um boa luta. Recordamos que Lappi perdeu três minutos na PE11 devido a um furo.

Thierry Neuville recuperou até sétimo, e se descontássemos os 4m16s que perdeu com a saída na PE1 seria terceiro. Mas não existem ‘ses’ no desporto automóvel. As coisas são como são…

Ainda assim, o belga já passou Bryan Bouffier, que está a fazer a prova possível. Apesar do seu bom conhecido do Monte Carlo, já não tem ritmo para andar mais à frente, nem mesmo na ‘sua’ prova. Craig Breen passou o dia a limpar a neve para os que passavam mais atrás. No único troço em que era mais vantajoso arrancar na frente, fez terceiro…

Jan Kopecky é décimo e continua a liderar facilmente o WRC2, depois de ter chegado à liderança na PE4. Foi aumentado a margem face a Eric Camilli, até que desistiu devido a uma saída de estrada, ainda no dia de ontem. Chegou ao fim do dia com 8m28s de avanço para de Mevius e hoje a margem já vai nos 12m12s. O seu único adversário é o percurso…

Classificação Online – CLIQUE AQUI