WEC: Toyota vence na despedida da Porsche

Sebastien Buemi, Anthony Davidson e Kazuki Nakajima asseguraram para a Toyota a quinta vitória do ano, triunfando facilmente nas 6 Horas do Bahrein, deixando os segundos classificados, o Porsche 919 Htybrid #2 de Timo Bernhard, Earl Bamber e Brendon Hartley, a mais de uma volta, depois de terem tido problemas muito cedo na corrida, não recuperando mais do que até ao segundo lugar.

O segundo Porsche 919 Hybrid, de Neel Jani, Andre Lotterer e Nick Tandy terminou no lugar mais baixo do pódio.

Depois de seis anos, a Porsche dá assim por encerrado novo capítulo no endurance, um capítulo interessante, especialmente quando estiveram em competição a Porsche, Audi e Toyota. A excelência tecnológica destes carros é grande, mas os custos ditaram que tem que ser dado novo passo, e por isso agora vai haver dois anos de transição até novas regras. Tudo recomeça a 5 de maio de 2018, com as 6 Horas de Spa. Sem Porsche, mas com Toyota, que vai ter Fernando Alonso a testar, e deverá tê-lo nas próximas 24 Horas de Le Mans.

Na LMP2, a Rebellion assegurou o título e foi Bruno Senna, sem direção assistida no seu carro, mas com uma grande prestação, que levou a equipa ao título. Bruno Senna, Julien Canal e Nicolas Prost recuperaram 40 segundos de atraso para os rivais da Jackie Chan DC Racing e asseguraram o título para a Vaillante Rebellion.

Na GTE Pro, James Calado e Alessandro Pier Guidi asseguraram o título com um segundo lugar no Bahrein. Calado e Pier Guidi chegaram a esta corrida com dois pontos de avanço na liderança, com os pilotos da Porsche e Ford Chip Ganassi Racing com hipóteses dos bater. Os seus colegas de equipa, Sam Bird e Davide Rigon lideraram a primeira parte da corrida no #71 Ferrari 488 GTE na frente do Ford GT #67 de Harry Tincknell e Andy Priaulx, mas tudo mudou na terceira hora, quando Pier Guidi levou o Ferrari #51 ao terceiro lugar, beneficiando depois de uma ‘Full Course Yellow’ e de um pião do Porsche 911 RSR #92. Priaulx perdeu meio minuto e Pier Guidi manteve a liderança que Calado só perdeu por troca com os seus colegas de equipa, só para o photo finish dos dois Ferrari.

Na GT-Am, o título foi para a Aston Martin e Pedro Lamy, com a equipa que é constituída ainda por Paul Dalla Lana e Mathias Lauda a terminar quase uma volta na frente do resto do pelotão, isto apesar de Lauda ter caído de primeiro para quarto na primeira hora. Na terceira hora, Dalla Lana chegou à liderança e Lamy confirmou-a. A equipa conseguiu os títulos de Pilotos e Equipas.

Classificação Online: CLIQUE AQUI