WEC/LMP1: Toyota na frente… mas nem sempre

Decorridos que estão os primeiros treinos livres da época do Mundial de Endurance, já dá para tirar algumas conclusões, que estarão ainda longe de ser totalmente fidedignas, embora possam dar uma boa ideia do que irá acontecer daqui para a frente. Então, vamos a factos…

A Toyota Gazoo Racing liderou as duas primeiras sessões de treinos livres em Spa, sendo que a terceira foi a Rebellion Racing a ficar na frente.

O Toyota 050 Hybrid #8 de Sebantien buémi, Kazuki Nakajima e Fenrando Alonso foi o mais rápido a abrir, deixando os seus colegas de equipa do carro #7 em segundo, a 0.237s. O melhor dos LMP1 privados foi o Rebellion R13 Gibson #3 de M. Beche/T. Laurent e G. Menezes, que ficou a 0.457s.

Na segunda sessão, as margens aumentaram um pouco, com o Toyota 050 Hybrid #7 de Mike Conway/Kamui Kobayashi e José Maria Lopéz a ser o mais rápido em pista, 0.643s na frente dos seus colegas de equipa com o BR Engineering BR1 – Gibson #10 da DragonSpeed de H. Hedman/B. Hanley e P. Fittipaldi no terceiro lugar, mas a 2.663s.

Por fim, na derradeira sessão, o mais rápido em pista foi o Rebellion R13 – Gibson #1 de N. Jani/ A. Lotterer e B. Senna a ficar na frente, com o Toyota 050 Hybrid #7 de Mike Conway/Kamui Kobayashi e José Maria Lopéz a 0.819s, com o Rebellion R13 – Gibson #3 de M. Beche/T. Laurent e G. Menezes em terceiro a 1.004.

As restantes categorias em artigos separados

Se nos LMP1 a Rebellion ainda se interpôs entre os favoritos Toyota já nos LMP2 há um denominador comum, o Oreca 07-Gibson #31 da Dragonspeed de R. Gonzalez/P. Maldonado e N. Berthon, que liderou as três sessões de treinos livres na categoria, embora nunca com margens dilatadas, sendo que os oito LMP2 presentes, chegaram a caber todos em 0.761s na segunda sessão, sendo que a diferença do primeiro para o oitavo só ultrapassou 1.5s em situações excecionais.

A exemplo da categoria LMP2, também a LMGTE-Pro foi dominada apenas por uma equipa, a Ford Chip Ganassi Team, ainda que os seus dois carros se tenham alternado na frente. O Ford GT #67 dominou a primeira e terceira sessões, enquanto o #66 foi o mais rápido na segunda.

Quanto a António Félix da Costa, que se estreia este fim de semana no WEC, o #82 da BMW Team MTEK tem vindo a melhorar e na terceira sessão Félix da Costa e o seu colega de equipa, Tom Blomqvist foram segundos classificados, 0.532s atrás do Ford GT #67.
A Ford parece estar um bom bocado na frente da concorrência, e o mais perto que ficou um carro não-Ford foi o Porsche 911 RSR #91, a 0.617s.

O Aston Martin Vantage #98 de Pedro Lamy, Mathias Lauda e Paul Dalla Lana foi terceiro numa das três sessões de treinos livres realizadas, mas nas duas restantes quedou-se pelo sexto e oitavo lugares. O plantel é em termos globais equilibrado, mas a diferença entre os pilotos de cada equipa pode ser maior, dependendo de quem guia, e por isso só na qualificação se poderá ter uma certeza melhor quando à rapidez, e depois na corrida, saber-se-à onde está a equipa do português.