WTCR: Pausa no reinado dos Hyundai

Zandvoort recebeu mais uma fantástica ronda do WTCR e TCR Europe, com o BoP a mostrar que pode ser a sorte de uns e o azar de outros

Na quarta ronda da época, o WTCR deslocou-se até ao mítico traçado de Zandvoort, com uma agenda que prolongou-se de sábado até segunda feira, algo pouco usual. Com nova alteração anunciada, sabia-se que o BoP iria ser, mais uma vez, o tema em destaque. As duas primeiras tentativas de ajustar a performance dos carros não impediram o domínio dos Hyundai, e assim foi feita uma nova alteração, com a diminuição da potência dos carros coreanos em 2,5% e um aumento drástico da altura ao solo, 100 mm, mais 20 que os Honda e mais 30 que as restantes máquinas. Os Honda ganharam mais 20 kg e o resto da concorrência perdeu peso. Quanto aos pesos de compensação (atribuídos apenas no WTCR mediante as performances dos carros), não houve alterações e os i30 N TCR mantiveram os 60 Kg, os Honda 20Kg e os restantes ficaram a zero. Dificilmente os Hyundai não iriam perder performance com estas alterações e a teoria transformou-se em realidade logo nos primeiros treinos.

Os Honda da Münnich tomaram conta das operações nos treinos livres, com Ehrlacher a ser o mais rápido no TL1 e Guerrieri a não se ficar atrás no TL2. Os Audi apareciam também com bom andamento e a maior surpresa era feita por Aurelien Comte (Peugeot), que fez o quarto tempo no TL1 e a terceira melhor marca no TL2. Rob Huff era o suspeito do costume no VW Golf, sempre no top 10, enquanto os Hyundai ficavam muito longe dos primeiros lugares, um sinal claro de que o BoP tinha feito o trabalho pretendido (talvez bem demais).

A luta na qualificação 1 foi intensa. Ehrlarcer e Guerrieri foram ocupando o primeiro lugar da tabela, mas Vernay e Huff meteram-se nesta disputa, que acabou por sorrir a ‘Huffy’, com o registo de 1:43:945, seguido de Ehralacher, Shedden (que se juntou à luta pelos lugares cimeiros perto do fim) Vernay e Lessennes. Comte continuava a dar nas vistas e ficava em sétimo lugar. Fora do top 10 ficavam os Alfa Romeo e os… Hyundai, sem capacidade para lutar por mais.

A corrida 1 ficou marcada pelo incidente ente Yvan Muller e Norbert Michelisz logo no começo da prova, com o húngaro a atirar Yvan para cima das proteções da pista. Huff não conseguiu segurar a liderança no arranque e Ehrlarcher ficou com o primeiro posto, com Comte logo atrás, que teve uma largada espetacular, seguindo-se Huff e Shedden. O top 4 manteve-se inalterado até ao final, mesmo depois das bandeiras vermelhas mostradas para retirar o Hyundai de cima dos rails. Vernay fechou o top 5 e mais uma vez os Hyundai ficavam fora do top 10. Ehlacher festejou a segunda vitória e Comte o primeiro pódio da Peugeot.

A qualificação para as corridas de segunda feira não teve um cenário muito diferente da primeira, mas desta vez foi o Audi de Jean Karl Vernay a fazer o melhor tempo (penalizado para a corrida 2 por troca de motor), conseguindo a pole para a corrida 2 com o registo de 1:43.994, seguido de Huff e Shedden. O melhor Honda foi o de Guerrieri, em 5º, enquanto Comte fez o 9º tempo e Thompson ficou com a pole para a corrida 2.

A segunda corrida desta jornada deu-nos um desfecho surpreendente e impensável antes do início do fim de semana. Aurelien Comte, que tinha evidenciado um excelente andamento até então e já tinha subido ao pódio, não desperdiçou a oportunidade de tentar a vitória e alcançou o primeiro triunfo do 308 TCR. O francês teve nova largada imparável e Thompson não teve argumentos para segurar o primeiro lugar. O francês dominou a prova de princípio ao fim, com a ajuda de Pepe Oriola que seguia em terceiro e segurava os ímpetos de Ehlarcher, Bennani, Shedden e Guerrieri. A pressão de Ehlacher surtiu efeito e Oriola cedeu o terceiro posto ao francês que pouco depois viu Thompson oferecer o segundo lugar ao jovem que luta pelo título, tendo admitido que teria inclusive oferecido a vitória se fosse o caso, uma vez que não está a tempo inteiro. Comte conquistou a sua primeira vitória no WTCR e Ehrlacher deu novo passo importante na luta pelo título.

Na terceira corrida o triunfo foi para Jean-Karl Vernay, que dominou de fio a pavio no seu Audi RS 3 LMS, terminando na frente do Volkswagen de Rob Huff, com Frédéric Vervisch a completar o pódio. Esteban Guerrieri aguentou a pressão de Gordon Shedden e terminou em quarto, enquanto o homem da Münnich, Yann Ehrlacher, foi sexto e com isso segurou a liderança do campeonato. O fim de semana foi desastroso para os Hyundai com Yvan Muller e Norbert Michelisz a rumarem ás boxes quando rodavam no final da grelha. Thed Björk foi o melhor dos Hyundai, terminando em… 15º. Agora, venha Vila Real.

Corrida 1
01 Yann Ehrlacher Honda 14 voltas
02 Aurélien Comte Peugeot +1.217
03 Robert Huff Volkswagen +1.566
04 Gordon Shedden Audi +1.879
05 Jean-Karl Vernay Audi +2.440
06 Esteban Guerrieri Honda +5.280
07 Tom Coronel Honda +5.816
08 Mehdi Bennani Volkswagen +6.665
09 Nathanaël Berthon Audi +7.044
10 Aurélien Panis Audi +8.120

Corrida 2

01 Aurélien Comte Peugeot 14 voltas
02 Yann Ehrlacher Honda +4.757
03 James Thompson Honda +5.255
04 Pepe Oriola Cupra +6.657
05 Mehdi Bennani Volkswagen +7.120
06 Gordon Shedden Audi +7.458
07 Esteban Guerrieri Honda +8.086
08 Robert Huff Volkswagen +9.198
09 Frédéric Vervisch Audi +9.567
10 John Filippi Cupra +9.988

Corrida 3

01 Jean-Karl Vernay Audi 15 voltas
02 Robert Huff Volkswagen +1.199
03 Frédéric Vervisch Audi +3.065
04 Esteban Guerrieri Honda +4.405
05 Gordon Shedden Audi +5.019
06 Yann Ehrlacher Honda +6.869
07 Aurélien Comte Peugeot +7.804
08 Mehdi Bennani Volkswagen +12.298
09 James Thompson Honda +14.241
10 Pepe Oriola Cupra +18.718