Quando o Batmobile pisou Le Mans em 1997

O ano de 1997 foi repleto de peculiaridades. Monica Lewinsy felicita afetuosamente Bill Clinton pelo início do seu segundo mandato como presidente dos EUA, a entrega de Hong Kong à China assinala o fim do Império Britânico, que em agosto desse mesmo ano chorou a morte da princesa Diana. A Dolly seria o primeiro animal clonado, enquanto George Clooney vestiu o fato de Batman no filme “Batman e Robin” e permitiu que o seu Batmobile corresse em Le Mans.

Sejamos honestos com a história, não foi bem o Batmobile que se apresentou em Le Mans na corrida de 1997, mas sim o Panoz Esperante GTR-1, não obstante a evidência de parentescos estéticos. Apesar da sonoridade do nome Panoz sugerir alguma origem hispânica, as raízes da Panoz são inteiramente americanas e remontam a 1989, quando Dan Panoz comprou os direitos de produção da TMC Costin, um pequeno construtor independente de carros desportivos “Low Cost”, entretanto falido e avançou para o desenvolvimento de desportivos de matriz musculada ao bom estilo americano.

Entre 1990 e 1996 a Panoz dedicou-se à produção artesanal de roadsters casados com os musculados motores V8 da Ford. Em 1996 e sem qualquer experiência no desporto motorizado, mas com ambições, a Panoz forma uma parceria desportiva com a experiente Reynard Motorsports e começam a adaptar o Esperante aos regulamentos GT de Le Mans do ano seguinte. O resultado deu origem ao exuberante Esperante GTR-1. Um conceito atípico de tudo à frente, com o piloto encostado ao eixo traseiro a comandar uma cavalaria acomodada num pornográfico capot adornado por três desafiadoras entradas de ar. Esta criação da Panoz conduziu à inevitável comparação com o Batmobile.

Para mover esta espécie exótica, foram a Detroit, bater à porta da Ford para lhes cederem não o musculado 4.6L V8 usado no Esperante de estrada, mas o vitaminado 6.0L V8 que naquela época podia ser encontrado debaixo do capot dos carros da Ford do campeonato Nascar. Foram construídas seis unidades de competição dividas entre a Panoz, a Francesa DAMS e pela David Price Racing. As 12 Horas de Sebring foram o palco de estreia do Esperante GTR-1, que durou apenas 108 voltas.

Em Le Mans a DAMS correu com um carro e a David Price Racing apresentou-se à partida com dois Panoz. O GTR-1 da DPR pilotado por Andy Wallace, David Weaver e Butch Leitzinger foi o que chegou mais longe, desistindo na volta 236, mas suficiente para levantar muitos sobrolhos pela sua invulgar estética e audácia.

Depois desta estreia, a Panoz continuou a correr em Le Mans em diferentes classes até 2007, mas sem resultados de relevo. Já o Batman foi levado ao cinema por mais quatro vezes sendo que na última ocasião teve de dividir o protagonismo com o Superman no filme “Batman Vs Superman”.