Dakar 2018: Joan Barreda arrasa na despedida do Peru

Está encerrada para os primeiros a quinta tirada do Dakar de 2018, a última realizada na sua totalidade no Peru, país de onde arrancou a 40ª edição do maior evento de todo-o-terreno do mundo. Hoje os pilotos tiveram pela frente 266 quilómetros cronometrados, novamente com muita areia à mistura, numa jornada que liga San Juan de Marcona a Arequipa.

No final, o triunfo ficou nas mãos de Joan Barreda Bort, que assim garantiu a segunda vitória em etapas neste Dakar. O piloto da Honda, que já havia prometido que iria atacar hoje, imprimiu um ritmo forte desde o início da jornada e não deu qualquer hipótese aos seus rivais. Nova demonstração de força por parte do espanhol que recuperou tempo importante para a frente da corrida.

No segundo posto ficou o melhor homem da KTM, Matthias Walkner. O piloto austríaco que lidera, após o abandono de Sam Sunderland, a armada KTM, realizou uma etapa consistente apesar de ter ficado a uns distantes 10m26s de Joan Barreda.

Seguiu-se Kevin Benavides, que subiu a segundo e reduziu parte da diferença para primeiro classificado da corrida, Adrien Van Beveren. Durante a etapa chegou a pensar-se que o piloto argentino iria suplantar o homem da Yamaha, mas a verdade é que Van Beveren segurou a liderança por 1m00s e é assim o primeiro piloto, neste Dakar, que retém o comando dois dias consecutivos. Porém em relação a Joan Barreda, Adrien Van Beveren cedeu 14m35s.

Quem também perdeu muito tempo foi o seu colega, Xavier de Soultrait, Segundo na tirada de ontem, hoje Soultrait perdeu 14m43s para a frente da prova. Dia de menor fulgor na Yamaha, depois de ontem ter alcançado uma saborosa dobradinha. Nota ainda para outro piloto da Yamaha, no caso Franco Caimi. O piloto argentino sofreu uma queda logo o início da etapa, que danificou a sua moto. Em evidentes dificuldades, Caimi chegou ao fim com 2h54m08s de atraso, hipotecando qualquer resultado de relevo no Dakar de 2018, onde há um ano foi o melhor piloto estreante.

Já Pablo Quintanilla viveu também um dia para esquecer. Segundo da classificação geral no início da jornada, o homem da Husqvarna cedeu 28m52s para Joan Barreda, depois de não ter evitado uma queda. Assim o piloto chileno caiu para nono na geral a 16m12s de Adrien Van Beveren.

Regressando à KTM de realçar o bom dia de Antoine Méo, quarto, naquela que foi a primeira etapa neste Dakar que o piloto gaulês demonstrou o seu real valor. Toby Price foi sétimo na frente de Gerard Farrés Guell, o melhor piloto privado do dia. Mais discreto esteve Stefan Svitko, que hoje quedou-se pelo 13º posto após ter sido quinto na véspera.

Referência ainda para mais uma etapa muito positiva por parte dos homens da Gas Gas: Johnny Aubert (10º) e Jonathan Barragán (13º). O 10º lugar de Aubert foi mesmo o primeiro top 10 da marca espanhola no Dakar de 2018. No lote das boas surpresas do dia está também o 11º lugar de Oriol Mena, piloto que está a estrear-se no Dakar. O espanhol, com carreira feita no enduro, colocou novamente no radar a Hero MotoSports que eclipsou-se após o abandono do ‘nosso’ Joaquim Rodrigues logo na primeira etapa.