Yamaha MT-03 de 2018: Equilíbrio entre potência e desempenho

Muitas vezes nos questionamos sobre o sentido da contínua procura de aumento da potência nas motos, que é forçosamente acompanhada de eletrónica cada vez mais sofisticada, para podermos controlar o desempenho das mesmas. Será que para tirarmos prazer na condução de uma moto e divertirmo-nos com a mesma é absolutamente necessário que tenha perto de 200cv? Obviamente que não, e algumas motos, como a Yamaha MT-03, são exemplo dessa realidade.

Para aqueles menos atentos ao panorama internacional da competição em duas rodas é bom conhecerem que existe uma nova classe no Campeonato do Mundo de Superbikes, a SuperSport 300, que por primeira vez este ano de 2017 foi instituída com enorme sucesso por sinal e onde competem precisamente a Yamaha, a Honda, a Kawasaki e futuramente outras marcas, nomeadamente a KTM. Ora a moto campeã deste ano de 2017 é uma Yamaha R3 e a sua irmã que aqui apresentamos, a MT-03, é precisamente a mesma moto sem carenagens. O mesmo quadro, as mesmas, suspensões, os mesmos travões e claro, o mesmo motor.

Há cerca de 1 semana atrás, graças ao sucesso que esta classe teve a nível internacional, também a Federação de Portugal de Motociclismo anunciou na última prova do Campeonato Nacional de Velocidade, no Estoril, uma nova classe de competição nacional precisamente a Supersport 300, destinada a pilotos dos 16 aos 25 anos.

A Yamaha MT-03 é por isso toda uma referência em matéria de performance, herdada pelo excelente desempenho da sua irmã mais desportiva, a R3. Mas a MT-03 não pretende ser apenas a irmã “despida” da famosa R3, antes pelo contrário, tem todos os atributos para se afirmar por si só e reinar também fora das pistas.

O seu aspeto estético é equilibrado e agressivo, muito de acordo com as linhas que têm marcado o novo segmento de motos naked, ao estilo Street Fighters e em linha com as suas outras irmãs de segmento, as Yamaha MT-07, MT-09 e MT-10 , de quem herda a estética e grafismos.

A Yamaha MT-03 destina-se obviamente a um segmento de mercado mais jovem, com carta A2, e caracteriza-se pela enorme facilidade de condução, pela sua leveza de apenas 168 Kg, pela elasticidade do seu motor de 320cc, com 42CV, que a partir das 5.000 rpm dispara e revela um outro caráter, assumindo uma dupla personalidade, de moto suave e flexível mas em simultâneo aguerrida e disposta a passar ao ataque.

Em cidade mostrou-se uma moto muito fácil de levar, sobretudo no meio do trânsito onde a sua pouca largura favorece a passagem entre carros e onde o banco com apenas 780mm de altura permite uma ótima estabilidade, colocando o centro de gravidade mais baixo e a facilitando a ajuda com os pés em situações de algum desequilíbrio.

A nível das suspensões, que são ambas KYB, a Yamaha definiu um compromisso que permite algum conforto sem penalizar o comportamento numa condução mais desportiva. A suspensão telescópica dianteira de 41mm não permite ajustamentos e a traseira apenas em pré-carga de mola.

A posição de condução na MT-03 é correta para o estilo de moto com o qual se identifica, com um guiador posicionado alto e favorecendo uma postura ereta e cómoda. A configuração do assento, mais largo atrás e estreito na frente, faz com que naturalmente nos posicionemos cada vez mais à frente e junto ao depósito, sobretudo nas travagens e obrigando-nos muitas vezes a forçarmos a nossa posição mais para trás onde aliás o banco é mais cómodo. Um pouco de exercício não faz mal a ninguém.

A travagem está a cargo de dois discos, um dianteiro de 298mm com pinça de dois êmbolos, e o traseiro de 220mm. O tato inicial na manete, que não é ajustável, é direto e progressivo mas senti falta de algo mais de “mordida”, sobretudo em travagens mais bruscas. Inclui ABS de origem. Os pneus Michelin Pilot pareceram-me adequados para as características da moto.

O painel de informação é idêntico ao da R3 e de fácil leitura, onde em destaque encontramos um conta rotações com o “redline” praticamente às 13.000rpm (imagine-se) o que dá para perceber até onde esta moto quer que a levemos. Na parte digital do painel temos todo o tipo de informação para além da velocidade, indicador do nível de combustível, avisador de mudança de óleo e outros.

O conjunto de luzes dianteiras incorpora luzes de presença LED, ao mesmo tempo que um farolim traseiro de LED dá à extremidade traseira compacta um aspeto moderno e desportivo. Debaixo do banco do pendura encontramos espaço para um pequeno cadeado. O depósito tem a capacidade de 14 litros, o mesmo que a MT-09, o que faz com que a sua autonomia possa chegar a quase 340 Km se a conduzirmos em modo económico.

A Yamaha disponibiliza um extenso catálogo de acessórios para a sua MT-03 nomeadamente um escape Akrapovic produzido especificamente para este modelo. Pelas suas características e preço competitivo a Yamaha MT-03 posiciona-se intencionalmente e com enorme sucesso no segmento dos utilizadores mais jovens e com carta de condução A2.

Pedro Rocha

Características Técnicas

Motor

Tipo de motor refrigeração líquida, 4 tempos, DOHC, 4 válvulas
Cilindrada 321 cm³
Diâmetro x curso 68,0 mm x 44,1 mm
Taxa de compressão 11,2 : 1
Potência máxima 30,9 kW (42,0CV) @ 10.750 rpm
Versão com potência limitada N/A
Binário máximo 29,6 Nm 3,0 kgf+m) @ 9.000 rpm
Sistema de lubrificação Cárter húmido
Tipo de embraiagem Húmida, Multidisco
Alimentação Injeção de combustível
Sistema de ignição TCI
Sistema de arranque Eléctrico
Sistema de transmissão Sincronizada, 6 velocidades
Transmissão final Corrente
Consumo de combustível N/A
emissões CO2 N/A

 

Chassis

Quadro Diamante
Sistema de suspensão dianteira Forquilha telescópica, Ø 41,0 mm tubos interiores
Curso dianteiro 130 mm
Ângulo do avanço de roda 25º
Trilho 95 mm
Sistema de suspensão traseira Braço oscilante
Curso traseiro 125 mm
Travão dianteiro Monodisco hidráulico, Ø 298 mm
Travão traseiro Monodisco hidráulico, Ø 220 mm
Pneu dianteiro 110/70-17M/C (54H) Tubeless
Pneu traseiro 140/70-17M/C (66H) Tubeless
Observação EU4 compliant

 

Dimensões

Comprimento total 2.090 mm
Largura total 745 mm
Altura total 1.035 mm
Altura do assento 780 mm
Distância entre eixos 1.380 mm
Distância mínima ao solo 160 mm
Peso (incluindo óleo e gasolina) 168 kg
Capacidade Dep. Combustível 14 L
Capacidade Dep. Óleo 2,4 L

 

PVP Base 5.495,00 euros

Concorrência

Honda 500F / 471cc / 48CV / 190Kg / 5.950, euros

Kawasaki Z300 / 296cc / 39CV / 168Kg / 4.970, euros

KTM 390 Duke / 373cc / 44,6CV / 139Kg / 5.750, euros

 

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.