Citröen 2CV que cruzou o Sahara procura dono

Estima-se que este 2CV que conta com dois motores para garantir tração integral, extremamente raro, possa atingir um valor de 77000€ em leilão.

Existem viaturas que fazem parte da história do automóvel e é difícil encontrar modelos que despertem tantas sensações como o Citröen 2CV. Agora um exemplar extremamente raro desde veículo, que cumpriu por duas vezes a travessia do Deserto do Sahara, surgiu em leilão, prometendo ser um dos clássicos do evento da CCA (Classic Car Auctions) marcado para 1 e 2 de abril que mais atenções mais captar. Desde logo pela sua valiosa e rica experiência de vida, mas também pela sua configuração muito rara, com dois motores a oferecem a tração integral, esperando-se que ele possa ser vendido por um valor entre 70.000 e 77.000€.

O carro em questão, um Citröen 2CV de 1965, é um modelo extremamente raro, já que é o exemplar nº 657 de uma rara série de 694 unidades do “dois cavalos” com dois motores e tração integral. Além disso, estima-se que é dos 100 modelos desta série que sobreviveram até aos dias de hoje e um dos 30 ainda em condições para sair para as estradas. Ou seja, é um caso exemplar de exclusividade num histórico modelo de que foram fabricadas mais de 3,8 milhões de unidades entre 1948 e 1990 (no último ano apenas em Portugal). Esta edição exclusiva de 694 exemplares foi pensada para as antigas colónias francesas do Norte de África e contava com dois motores, um em cada eixo, alimentados por igual número de tanques de combustível colocados sob os bancos dianteiros.

O simpático Citröen 2CV agora em leilão tem uma história recheada de momentos marcantes, já que foi entregue em dezembro de 1965 a um antropologista da Universidade Ahmadu Belu, na Nigéria. Este investigador necessitava de se deslocar até zonas remotas do país, e descobriu que caso escolhesse um Land Rover corria o risco de ser considerado um inspetor do governo local, enquanto o mais pequeno modelo gaulês atraia maior simpatia dos cidadãos locais. No entanto, quando em 1967 estalou a Guerra Civil nesta nação, o 2CV transformou-se no meio de fuga da Nigeria para o antropologista, tendo sido um fiel companheiro através de uma rota de 1600km através do Deserto do Sahara, que atravessou carregado ao máximo com combustível e água. Enfrentando sem medos as tempestades de areia e outros desafios como este exigente clima e terreno, nem mesmo um tubo hidráulico quebrado impediu o histórico “dois cavalos” de tração integral de completar com êxito a sua tarefa.

A segunda viagem através do maior deserto do mundo foi para o regresso à Nigéria, em 1969, tendo sido vendido neste país durante a década de 1970 a um médico do hospital associado à Universidade Ahmadu Belu. Mas o amor do proprietário original pelo seu 2CV não esmoreceu, e quando nos anos 80 o antropologista voltou a este território africano e descobriu que o clássico gaulês praticamente não era conduzido, voltou a adquirir o Citröen e expediu-o para o Reino Unido, de forma a poder repará-lo. Por falta de peças acabou por não conseguir empreender a recuperação do antigo esplendor do 2CV, e vendeu-o novamente, com o terceiro proprietário a conseguir finalmente após 47 anos, em 2012, reparar totalmente este histórico automóvel. Um verdadeiro testemunho da história e um maratonista de excelência, capaz de cumprir por duas vezes o deserto do Sahara, este 2CV procura agora um novo dono, e certamente não vão faltar interessados em tão atraente e espetacular máquina quando ele for a leilão no evento marcado para o início de abril.

Nuno Fatela

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.