Grupo FCA acusado de obstruir investigações

O consórcio Fiat Chrysler Automobiles (FCA) está a ser averiguado por parte da justiça francesa por suspeitas de obstrução a investigações relacionadas com as emissões de automóveis a diesel. A examinação recaía sobre os blocos diesel vendidos pela Fiat e pela Jeep, em particular o motor de 1.6l e 2.0l Multijet II do Fiat 500x, o motor de 1.3l a que recorre o Fiat Doblo e o motor de 2.0l do Jeep Cherokee.

As autoridades francesas estão a averiguar uma alegada obstrução do Grupo FCA a investigações aos seus motores diesel, reporta o meio Le Monde e avança também a Autonews. As investigações, recorde-se, iniciaram-se na sequência de suspeitas de manipulação dos testes de emissões e de um suposto acordo entre o consórcio e o governo italiano. Os testes referentes à investigação incidem sobre os motores diesel do Grupo FCA, em particular o motor de 1.6l e 2.0 Multijet II, que equipa o Fiat 500x, o motor de 1.3l a que recorre o Fiat Doblo e o motor de 2.0l disponível no Jeep Cherokee.

A entidade responsável pela investigação é a Direction Génerale de la Concurrence, de la Consommation et de la Répression des Fraudes (DGCCRF), organismo que também averiguou outros fabricante de automóveis decorrentes da mesma matéria, as emissões poluentes de motorizações a diesel. A Mercedes e a Opel foram ilibadas pela DGCCRF da acusação de enganarem os consumidores no que respeita à manipulação de emissões dos seus automóveis.

Até à data o Grupo FCA recusou-se a comentar a acusação.

Leia também: França pode acusar Fiat-Chrylser pelos valores de emissões