Mercedes AMG-GT vai ter rival para o Panamera

Vão ser, na versão de topo, mais de 800CV de potência híbrida colocados ao dispor do condutor nesta versão mais longa e para quatro passageiros do desportivo de topo. O Mercedes AMG-GT quatro portas deve chegar ao mercado já no próximo ano.

Após ter revelado, e recebido muitos elogios, com o AMG GT Concept, surgem agora novas informações sobre o desenvolvimento de uma versão de quatro portas para o poderoso desportivo da marca da estrela. Este Mercedes AMG-GT para quatro passageiros irá ter a mira colocada no novo Porsche Panamera, e contará para tal com uma motorização híbrida. Após ser apresentado no Salão de Genebra de 2018, o modelo deve estar no mercado durante o segundo semestre do próximo ano.

Este modelo será comercializado sob a égide da EQ, a nova submarca de propostas eletrificadas da Mercedes. No entanto, neste caso a opção não está diretamente relacionada com a consciência ambiental e exigências legais ao nível das emissões, como poderá acontecer com outros modelos como o Classe A elétrico, mas antes como forma de aumentar ainda mais as capacidades e performances do carro.

O futuro Mercedes AMG-GT de quatro portas irá ser um substituto direto do CLS 63-AMG (apesar do novo CLS estar já em desenvolvimento) mas vai colocar-se numa faixa mais elevada e exclusiva do mercado. A mecânica estará fortemente influenciada pelo novo E63 S 4MATIC, utilizando o mesmo V8 4.0L TwinTurbo de 612CV. Mas neste caso será adicionado ao motor de combustão montado longitudinalmente na dianteira um outro propulsor, elétrico, sobre o eixo traseiro. Isto significa que nos momentos de condução puramente elétrica este Mercedes deixa de ter tração integral e vai ter apenas as rodas traseiras a puxar pelo carro.

Este desportivo de quatro portas vai estar disponível em três variantes distintas, cada uma delas com uma potência, um pack de baterias e autonomia distinta. O acesso à gama será feita com um AMG GT quatro portas de 675CV e 30km sem emissões poluentes, a opção intermédia vai ter perto de 750CV e conduz um máximo de 40km apenas com o motor elétrico e o mais poderoso debitará mais de 800CV e vai ter uma autonomia de 50km.

O modelo vai utilizar (tal como o Project One) tecnologias oriundas do monolugar campeão mundial de Fórmula 1, como o carregamento contínuo das baterias pela recuperação de energia pela travagem e com o motor de combustão. Além disso, a sua evolução também já receberá o know-how obtido pela Fórmula E, onde a Mercedes vai entrar a partir da temporada 2018/19.

Os desportivos de quatro portas são um mercado onde a Porsche reina, mas que tem atraído cada vez mais interesse de outros fabricantes. Ao ponto da Lamborghini, habitualmente dedicada aos superdesportivos, estar a ponderar aventurar-se também com um modelo nesta faixa do mercado.

Fonte: Autocar

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.