Motores elétricos nas rodas prontos para produção

Esta ideia pioneira pode trazer diversos benefícios para os veículos sem emissões poluentes, pois os motores elétricos nas rodas do Protean Drive System anunciam ganhos ao nível do espaço e peso para estes automóveis

Após oito anos de desenvolvimento, o Protean Drive System está preparado para entrar em produção. Esta solução para veículos sem impacto ambiental, com a incorporação de motores elétricos nas rodas, poderá ser utilizada em diversas configurações, equipando veículos com duas ou quatro rodas motrizes e também híbridos. Além disso, poderá vir a transformar carros elétricos que já estejam nas estradas apenas com tração dianteira ou traseira em automóveis com tração integral. Esta tecnologia apresentada pelos britânicos da Protean Eletric poderá ser a primeira utilização comercial desta tecnologia em veículos ligeiros de passageiros (por exemplo, a Schaeffer e a Ford já criaram em 2013 protótipos do Fiesta com este sistema), embora já existam aplicações em viaturas pesadas.

Este é um “pack completo”, que inclui o motor elétrico síncrono, o íman permanente e toda a eletrónica exigida para o seu funcionamento. No site da empresa é referido que este sistema tem uma potência de 54kW (72cv) que pode ser elevada no máximo aos 75kW (100cv), o que significa uns interessantes 200cv de potência para um modelo com tração a duas rodas. Isto com dois motores elétricos nas rodas que tenham dimensões de 16,5’’ de diâmetro e 4,5’’ de largura. Entre as vantagens estão desde logo a eliminação da transmissão e do eixo da transmissão, bem como a utilização de cablagem mínima, o que ajuda a reduzir o peso. Segundo informações relevadas à Autocar, um par destes motores elétricos nas rodas acusa apenas 72kg na balança, um registo inferior em 30kg ao total de 102kg da motorização do BMW i3.

Entre os destaques do sistema estão também a eliminação das perdas friccionais de energia através da transmissão entre 6% e 8%, num modelo com duas rodas motrizes. Esta situação tem também o benefício de melhorar a capacidade de regeneração da energia nas acelerações e travagens. A empresa utilizou já um protótipo do Volkswagen Golf para testes, com afinações específicas para a suspensão, tendo revelado um funcionamento com eficácia similar ao e-Golf. A versão de produção deste componente será fabricada na China, inicialmente com um volume baixo situado entre 5 a 10 unidades por semana. Como habitualmente nestas novidades, o preço elevado acaba por ser o maior handicap, mas o objetivo é diminuir o diferencial comparativamente às soluções convencionais para tornar os motores elétricos nas rodas do Protean Drive System uma solução mais aliciante do ponto de vista económico.

Fonte: Autocar e Protean Eletric

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.