Opel desenvolve o novo motor quatro cilindros da PSA

Maior eficiência e menores emissões são duas premissas-base para este projeto agora anunciado, em que a Opel desenvolve o novo motor quatro cilindros da PSA, consolidando a sua integração no grupo automóvel liderado pelo português Carlos Tavares

Após ter transformado Russelsheim, Quartel-General da Opel, num local com 15 centros de competência e onde se incluem a pesquisa e desenvolvimento dos FCV a hidrogénio, nova plataforma para comerciais ligeiros e os assentos a utilizar nos automóveis do Grupo PSA (além de ser o ponta-de-lança na mobilidade elétrica), foi agora anunciado um novo projeto para o local. Acelerando a sua integração com os outros emblemas do consórcio gaulês (Peugeot, Citroën e DS), agora a Opel desenvolve o novo motor quatro cilindros da PSA. Este propulsor a gasolina será lançado em 2022 e estará otimizado para trabalhar em consonância com motores elétricos em configurações híbridas.

Este motor será utilizado pelas quatro marcas do grupo liderado por Carlos Tavares, e aplicados aos automóveis comercializados na Europa, China e Estados Unidos. Injeção direta, turboalimentação e distribuição variável são algumas das tecnologias-chave para alcançar duas das exigências primordiais para este bloco: menos emissões e mais eficiência. Para esta decisão em que a Opel desenvolve o novo motor de quatro cilindros da PSA foram fulcrais as décadas de experiência na investigação em torno dos motores a gasolina de elevada eficiência em Russelsheim, indicou a empresa num comunicado.

Este motor desenvolvido pela Opel vai substituir o atual bloco em alumínio Puretech 1.6L a partir de 2022, como já referido. Nessa altura ele será uma das duas famílias de propulsores da casa gaulesa, numa oferta onde também se insere o multipremiado Puretech de três cilindros, bloco que este ano foi novamente eleito como um dos melhores motores do mundo.

Nuno Fatela/Turbo