Porto começa a receber os 250 novos veículos ‘verdes’

A LeasePlan Portugal vai fornecer mais de 250 veículos “verdes” ao Município do Porto e a empresas municipais do concelho.

A LeasePlan Portugal ganhou um concurso, lançado pelo município do Porto, para o fornecimento de 250 veículos ‘verdes’ em regime de aluguer operacional. O valor do contrato é de 3,1 milhões de euros e tem uma duração de 48 meses, inserindo no programa de renovação de frota da autarquia, com a inclusão de 205 viaturas elétricas e 69 veículos híbridos Plug-in, entre veículos de passageiros e comerciais ligeiros de 2, 5 e 7 lugares. A quilometragem varia entre os 80 mil e os 150 mil quilómetros.


Veja neste artigo como o Município do Porto quer ser um exemplo a seguir na mobilidade elétrica, uma aposta da qual retirá já diversas vantagens


A gestora de frotas já começou a entregar as viaturas e deu formação a cerca de 500 colaboradores municipais sobre a melhor condução de veículos elétricos. Numa altura em que a autarquia está a finalizar a instalação da infraestrutura de carregamentos para os veículos elétricos em vários locais da cidade, este é o passo que faltava para a cidade abraçar em definitivo a passagem para uma frota “mais amiga do ambiente”.

O Município do Porto foi o primeiro município a alterar a sua frota para elétricos e híbridos e, apenas nos segmentos onde ainda não existe uma alternativa “verde”, mantiveram veículos a combustão (chassis cabine, pick ups e furgões de grandes dimensões).

“Os municípios têm condições para liderar a transição para uma mobilidade futura mais sustentável e prova disso mesmo é a transição ocorrida no Município do Porto de veículos de combustão para uma frota elétrica e híbrida”, afirma António Oliveira Martins, diretor-geral da LeasePlan. “Como parceiro estratégico fundamental na mudança do paradigma da mobilidade, a LeasePlan dá assim mais um passo rumo a um futuro de veículos mais sustentáveis. O panorama da mobilidade está em processo de disrupção e por essa razão é necessário um esforço conjunto cada vez maior por parte de todos os operadores”, conclui.

“O Município do Porto quer liderar pelo exemplo e a descarbonização da sua frota automóvel constituiu um enorme desafio dada a dimensão e complexidade. Estamos conscientes que este passo representa um enorme contributo para a redução da pegada carbónica do Município, com uma redução substancial do consumo de combustíveis fósseis.” afirma Filipe Araújo, Vice-Presidente da Câmara Municipal do Porto e Vereador com o Pelouro da Inovação e Ambiente. “Este projeto faz parte de uma estratégia que pretende colocar a sustentabilidade como pilar transversal do desenvolvimento do Porto.”

Artigo publicado originalmente no site da Turbo Frotas