Serão baterias de nanocarbono solução a curto-prazo?

a carregar vídeo

Uma empresa britânica pretende desenvolver as baterias de nanocarbono como uma solução a breve trecho não apenas para os veículos elétricos mas também para smartphones e eletrodomésticos

A start-up Zap&Go, uma nova firma britânica, afirma que vai dar início já em 2018 a baterias de nanocarbono, que serão utilizadas numa primeira fase numa scooter elétrica capaz de obter 100% da carga em apenas cinco minutos. A ideia passa por comprovar que esta solução, que utiliza também o grafeno (igualmente apontado como solução para o futuro nos modelos de emissões 0), é superior às atuais baterias de iões de lítio, embora para tal seja necessário continuar a desenvolver o conceito. Embora ainda não exista capacidade para avançar para a implementação a larga escala, as baterias de nanocarbono oferecem vantagens pela maior rapidez de carga e durabilidade, resistindo a uma quantidade superior de ciclos de carga-descarga.

a carregar vídeo

A Zap&Go prevê que, quanto otimizadas, estes componentes sejam capazes de ficar totalmente carregados em apenas cinco minutos, além de serem mais fáceis de reciclar no fim de vida. A razão para a maior rapidez nos carregamentos está no facto das baterias de nanocarbono poderem obter cargas mais elevadas sem existir o perigo de pegarem fogo. No caso da maior durabilidade, ela é explicada pela existência de menos células em movimento eletroquimico durante o abastecimento. A segurança é outro ponto forte, tanto no transporte como na resistência a impactos comprovada no vídeo seguinte. Esta obra faz a comparação às consequências de perfurar uma bateria de iões de lítio e outra de nanocarbono, e enquanto a primeira se transforma numa máquina de fumo a segunda até consegue continuar a trabalhar mesmo após ter sido perfurada.

a carregar vídeo