Como tornar os veículos elétricos mais rentáveis

Garantir que se introduzem inovações sem que os custos sejam demasiado altos para gerar lucros é uma questão de sobrevivência para qualquer negócio, e os automóveis não são diferentes. Com a mobilidade sem emissões poluentes a tornar-se uma obrigação devido às restrições legais, saiba como podem os fabricantes tornar os veículos elétricos mais rentáveis

A questão dos custos de desenvolvimento e dos componentes tem vindo a ser apontada como um dos maiores entraves à introdução da mobilidade elétrica. Como se tem visto recentemente, os fabricantes estão obrigados a desembolsar elevados montantes para o desenvolvimento destas propostas. Esta situação, em conjunto com os elevados custos a que muitos dos componentes ainda estão disponíveis, tem significado dificuldades para colocar os modelos de emissões 0 no mercado a preços atrativos, já que para a generalidade das pessoas estão com valores muito acima dos concorrentes com motores de combustão.

Agora surgiu um relatório da McKinsey que visa precisamente demonstrar como os fabricantes podem tornar os elétricos mais rentáveis, apontando o caminho a seguir pelas marcas para terem sucesso nesta aventura. É indicado que as vendas mundiais destes modelos atingiram já 1,3 milhões de unidades em 2017, um salto evolutivo de 57% em comparação ao período homólogo, e que os valores devem continuar a crescer. As estimativas são de que os veículos elétricos vão representar 30% a 35% de todo o mercado automóvel em 2030, e os valores da McKinsey estão alinhados com as previsões dos maiores fabricantes mundiais, de que os EV representem, consoante a marca, entre 15% e 25% do volume total de negócios em 2025. Para garantir que esta é uma aposta de sucesso, e até para acelerar a introdução destes modelos, aqui ficam os vários conselhos da McKinsey para tornar os veículos elétricos mais rentáveis.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.