Quando os automóveis completamente autónomos chegarem à estrada, o mercado vai explodir, com analistas do mercado automóvel a estimar que 33 milhões destes veículos vão ser vendidos até 2040. Embora alguns elementos do público demonstrem algum receio a carros que andam sozinhos, mesmo os mais céticos vão querer adotar a nova tecnologia assim que a começarem a utilizar.

Os resultados desta análise foram explicados por Jeremy Carlson, responsável pelo mercado automóvel na IHS Market, numa entrevista ao site The Drive. De acordo com o analista americano, muitas pessoas têm ideias pré-concebidas erróneas sobre a tecnologia autónoma, mas irão adotá-la assim que perceberem que vão poder ver notícias no smartphone com uma mão e beber um café com a outra enquanto o carro anda sozinho.

Os automóveis autónomos de nível 5 (autonomia total) vão começar a ser vendidos dentro de três ou quatro anos, e Carlson prevê mais de 50 mil carros na estrada em 2021. Mas depois deste início tímido, vai ser necessário apenas mais quatro anos para ultrapassar o milhão de unidades com tecnologia autónoma.

Como a maior parte da pesquisa no terreno está a ser feita na Califórnia, os Estados Unidos serão os primeiros a criar legislação permitindo a circulação destes automóveis, mas pressão do mercado vai acelerar a criação de legislação semelhante na Europa nos meses seguintes. Espera-se também que sejam serviços de aluguer a facilitar a distribuição desta tecnologia, em vez da compra para uso pessoal, já que isso retirará aos condutores a necessidade de esperar por um automóvel com bateria carregada.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.