Esperar pelo elevador é chato. O ideal mesmo era poder voar do rés-do-chão até ao nosso andar, mas infelizmente isso não é possível… ainda. Afinal, pode até não demorar muito, graças a uma experiência realizada por dois estudantes de física na Universidade de Chicago, que conseguiram levitar vários objetos, a uma altitude elevada e durante um tempo considerável.

Atualmente, a levitação é possível apenas com objetos magnetizáveis, como é visto em comboios Maglev, ou com polarização de luz, que também está limitada a poucos materiais. No entanto, os dois estudantes, Frankie Fung e Mykhaylo Usatyuk conseguiram usar a temperatura para fazer vários objetos levitarem a vários altitudes, usando um gradiente de temperatura e uma câmara de vácuo.

A experiência foi feita com esferas de cerâmica e polietileno, bolhas de vidro, partículas de gelo, restos de cotão e sementes de cardo, e conseguiram levitar estes objetos durante mais de uma hora, mantendo estabilidade vertical e horizontal. Para manter os objetos suspensos, a experiência recorreu a uma placa de cobre à temperatura ambiente como base, enquanto no topo estava um cilindro de aço inoxidável cheio de azoto líquido (muito mais frio). A própria transferência de calor entre os dois objetos servia para manter os objetos suspensos, na prática suspendendo a gravidade.

Isto abre a porta para aplicações práticas, com a preocupação mais imediata a ser na área da investigação aero-espacial e na produção de materiais para aplicações fora da atmosfera terrestre. Mas se é possível fazer levitação com objetos, a pergunta óbvia é “quando é que isto vai ser possível com pessoas?”.