Roland Gumpert já não está associado à primeira marca que fundou, a Gumpert, agora conhecida como Apollo Motors. Mas o engenheiro alemão não ficou muito tempo longe do mundo automóvel e está de volta com uma nova marca, a RG, e com novas tecnologias, com o primeiro carro do mundo cuja célula de combustível usa metanol em vez de hidrogénio.

A RG é uma parceria entre Gumpert e a empresa chinesa Ai-Ways, com o primeiro modelo a chamar-se Nathalie, uma das filhas do engenheiro alemão. O RG Nathalie, que chega ao mercado internacional em 2019, é um modelo desportivo, com um chassis tubular de crómio-molibdénio e uma carroçaria de fibra de carbono, para poder manter o peso baixo.

O mais importante é a fonte de energia. O RG Nathalie utiliza uma célula de combustível que, em vez de usar hidrogénio, recorre ao metanol verde, um álcool sintético que, depois de utilizado no processo de geração de energia, tem como subproduto vapor de água e dióxido de carbono, mas que não emite os outros gases poluentes dos motores de combustíveis fósseis. Tem também a vantagem de necessitar apenas três minutos para reabastecer.

A célula fornece energia a quatro motores, cada um distribuindo 150 kW a uma roda, para uma potência total combinada de 916 cv. Isto permite ao Nathalie atingir os 100 km/h em 2,5 segundos, acelerando acima dos 310 km/h. Gumpert anuncia uma autonomia de 850 km com uma utilização normal, ou 1200 km em modo ecológico, recuperando energia através da força de travagem.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.