Os sistemas start-stop são uma necessidade importante dos automóveis atuais para reduzir os consumos e as emissões poluentes. No entanto, como o motor está constantemente a ser ligado e desligado durante uma viagem, mesmo quando esta é curta, vários elementos têm sido reforçados ou renovados para lidar com este sistema.

Uma delas passa por substituir as antigas baterias de ácido de 12 volts. Estas baterias são compactas e fáceis de substituir quando termina o seu ciclo de vida, mas foram concebidas para uma era em que um automóvel tinha poucos sistemas elétricos. Uma hipótese é adotar as baterias elétricas dos híbridos e elétricos, de iões de lítio, mas estas ainda são demasiado caras para automóveis que se pretendem acessíveis a certos segmentos do público.

Alguns carros de maiores dimensões já estão a usar duas baterias, uma para o start-stop e outra para os sistemas elétricos, esta com 48 volts e maiores dimensões, mas que requer um adaptador de corrente, pois muitos sistemas elétricos continuam a funcionar só com 12 volts.

Outra solução passa por substituir as baterias de ácido por baterias com fibra de vidro absorvente. Estas têm um ciclo de vida quatro vezes maior e podem ser recarregadas com a condução mais rapidamente. Estas também ocupam mais espaço que as baterias tradicionais.