“Quando o Tesla Semi sair compramos dois”, diz Martin Daum, patrão dos camiões Mercedes

Na conferência de apresentação dos resultados globais da Daimler Trucks, em que foi desvendado o novo eActros, o camião elétrico da Mercedes, o chefe da divisão de pesados da marca alemã desvendou algumas pistas sobre o futuro da mobilidade elétrica, sempre com bom espírito e humor

O momento das perguntas dos jornalistas, após uma conferência de imprensa, são excelentes para ficarmos a conhecer melhor a personalidade de quem esteve, momentos antes, a fazer a sua apresentação.

Foi o que aconteceu na conferência de imprensa da Daimler Trucks, realizada em Estugarda, no Museu da Mercedes-Benz, com Martin Daum, o Big Boss da divisão de camiões e autocarros do Grupo Daimler.

Durante a conferência, o CEO consegui debitar toda a informação sobre os resultados da Daimler Trucks e também apresentar o camião elétrico eActros, que assistiu ao Q&A do lado de fora da sala, depois das cortinas da sala se levantarem.

O eActros vai agora começar uma fase intensiva de testes com alguns clientes e possivelmente entrará em produção dentro de três anos.

O controlo com que Herr Daimler conduziu a conferência, sempre em alemão, não surpreende num executivo com tanta experiência e responsabilidade. Ainda assim, um ou dois pormenores chamaram a atenção.

O primeiro foi a humildade demonstrada relativamente ao modo como a mobilidade elétrica vai evoluir. Há tantos fatores a considerar — económicos, tecnológicos, políticos — mas a forma explícita como esse desconhecimento foi realçado tem o efeito contrário. Admitir toda essa imprevisibilidade é uma forma de demonstrar que se conhece profundamente a realidade.

Como o próprio Daum sublinhou, o cliente dos produtos da Daimler Trucks não é levado por emoções. A escolha do produto é estritamente racional. Custo de aquisição, custos operacionais, período de amortização, fiabilidade, valor de revenda e adaptabilidade do produto a necessidades específicas, passam todos os outros critérios para segundo plano. É esta racionalidade que os clientes esperam de um construtor de veículos pesados: que não entre em fantasias.

Mas Daum passou toda esta informação de modo informal — sem gravata — e com ocasionais diatribes que provocaram boa disposição. “Nunca fui do tipo atlético e foi por isso que vim para os camiões, para compensar… Por favor agora não escrevam isto!” – disse, com o sorriso de quem sabe que o “off the record” antecipa-se. Mas até isso está sob controlo, porque é um soundbyte divertido e inofensivo.

É esta racionalidade que os clientes esperam de um construtor de veículos pesados: que não entre em fantasias

Questionado por um jornalista alemão sobre como via o futuro da mobilidade elétrica dentro de 10 anos, Daum começou por dizer que contava estar reformado nessa altura, o que provocou mais algumas gargalhadas na sala. Depois voltou a repetir que esse cenário era impossível de prever. E rematou: “Só para explicar porque é tão difícil antecipar o que vai acontecer nesta próxima década, precisaríamos que esta conferência de imprensa durasse dois dias…”

Finalmente, um outro jornalista falou no elefante na sala. O Tesla Semi, o camião elétrico do construtor americano já está em testes avançados e a sua produção está agendada para 2019, dois anos antes daquilo que a Mercedes-Benz prevê para o eActros.

Além disso, a Mercedes-Benz admitiu que não dispõe ainda de soluções para a produção de um camião de 30 ou mais toneladas de longo curso totalmente elétrico. Enquanto a Tesla anuncia uma autonomia de 800 quilómetros mesmo com uma carga de 36 toneladas.

Daum foi, mais uma vez, pragmático: “os nossos clientes são pragmáticos e precisam de soluções competentes para hoje. Sobre o projeto da Tesla, não conheço pormenores, não falei com pessoas envolvidas — nem a Daimler me deixava! — por isso não posso falar sobre isso. O que posso garantir é que, se fizer tudo aquilo que é anunciado, vamos comprar dois: um para testarmos e outro para desmancharmos e podermos aprender como fizeram. É um procedimento normal e a nossa concorrência faz o mesmo com os nossos camiões há muitas décadas…”

Nascido em Karlsruhe —cidade natal de Carl Benz — há 58 anos, Martim Daum estudou ciências económicas na Universidade de Manheim (onde Benz construiu o seu triciclo motorizado) até 1985, ingressando na Daimler-Benz em 1987.

Ocupou diversos cargos de gestão nas vendas e no marketing até 1996, quando começou a dedicar-se à área dos veículos pesados.
Desde 2009 que é vice-presidente executivo da Daimler AG e CEO da Daimler Trucks North America.
Em Março de 2017 passou a integrar o conselho de Administração da Daimler AG, sendo o responsável máximo das divisões de Camiões e Autocarros da companhia.