Depois de ter interrompido o seu programa de testes após um acidente mortal, a Uber resolveu agora cancelar definitivamente os testes de automóveis autónomos no estado do Arizona. A empresa de partilha de transportes vai manter os seus restantes programas de testes em stand by, as pretende regressar à Pensilvânia no verão, no mesmo estado onde começou os seus testes, em 2016.

Ao encerrar definitivamente o programa de testes, a Uber vai terminar contratos com 300 empregados no Arizona, embora mantenha os serviços normais do aplicativo de localização de transporte. Depois do acidente mortal, que vitimou uma ciclista há dois meses, na cidade de Tempe, já se esperava que os testes nesta zona terminassem. Um dos carros autónomos da Uber já tinha estado envolvido num acidente em 2017, pelo que este atropelamento levou o governador do estado do Arizona, Doug Ducey, a ordenar o encerramento dos testes de automóveis autónomos da Uber.

Considerando que especialistas da empresa de tecnologia Cortica e da Universidade da Carolina do Sul consideraram que o acidente podia ter sido evitado, que a Aptiv revelou que alguns dos sensores usados normalmente pelo carro tinham sido desligados, e que o condutor habilitado estava parcialmente distraído, esta resolução não é uma surpresa. As autoridades de segurança rodoviária ainda têm que terminar um relatório sobre a potencial culpa da Uber no acidente.

Além de Pittsburgh, na Pensilvânia, a Uber também estava a conduzir em testes em San Francisco, na Califórnia, e em Toronto, no Canadá. Estes dois últimos ainda não tem data prevista para regressar à estrada. A rival Waymo prossegue os testes com os seus próprios automóveis autónomos.