Os morcegos são um dos grupos de animais mais fascinantes, capturando a imaginação humana. São um fenótipo único entre os mamíferos (apesarem de serem a segunda ordem mais numerosa, com mais de 1200 espécies), por serem os únicos capazes de voo independente. Por isso, os humanos sempre quiseram imitá-los, tomando como exemplos mais famosos o superherói Batman ou as asas inventadas por Leonardo da Vinci. E o professor universitário da Califórnia conseguiu, criando um bat-drone, o Bat Bot B2.

Imitar o voo dos morcegos têm sido um desafio maior para os engenheiros do que imitar o voo das aves. Mas Soon-Jo Chung, presidente de engenharia aero-espacial na universidade Caltech conseguiu replicar as complicados movimentos corporais do morcego com o Bat Bot B2. Este bat-drone pesa apenas 93 gramas e tem uma envergadura de asas de cerca de 30 cm. Consegue replicar cinco movimentos básicos de braços, e a membrana das asas tem apenas 0,056 milímetros de espessura.

O Bat Bot já consegue fazer voo independente, só com o bater das asas, durante 30 metros. Com motores mais potentes, poderá assumir as mesmas funções de um drone, funcionando em áreas mais apertadas, onde um drone com hélices correria o risco de chocar contra pessoas e objetos.