Este ano, a marca Jeep celebra o seu 75.º aniversário. A marca americana marca o seu início quando a Willys-Overland bateu a American Bantam e a Ford num concurso público para construir o veículo General Purpose (G.P.), que rapidamente passou a ser chamado Jeep quando começou a ser construído em 1942. Embora este veículo tenha sido concebido para uso militar, rapidamente ganhou fama entre o público civil.

O conceito do Jeep original foi sendo evoluído, ganhando habitáculos maiores e mais confortáveis, motores mais potentes, sistemas de tração às quatro rodas mais eficientes e versões especiais. O Jeep foi sucedido pelo CJ, depois pelo Renegade e o seu descendente direto é o atual Wrangler. Em gerações anteriores, já teve uma versão pick-up, chamada Scrambler. A marca também se estendeu noutros segmentos de mercado, com o mais civilizado Cherokee, os modelos de luxo Grand Wagoneer e Grand Cherokee, ou, mais recentemente, os citadinos Compass e Renegade.

A Jeep mudou de mãos várias vezes, com a Willys-Overland a fundir-se com a Kaiser para se tornar Kaiser Jeep em 1953. Depois, a marca Jeep foi vendida à American Motors Corporation (AMC) em 1970, mas perdeu uma grande quota de mercado após a Crise Petrolífera de 1973, e a Renault foi gradualmente assumindo o controlo, terminando em 1982. Mas a AMC continuou a perder dinheiro e a empresa foi vendida à Chrysler em 1987. A Jeep é a única marca sobrevivente desta aquisição, continuando mesmo depois da Mercedes (1998) e depois a Fiat (2014) terem adquirido a Chrysler.