O valor dos F1 que a McLaren pode perder para Ron Dennis

Apesar de se encontrar afastado do comando da McLaren desde dezembro de 2017, Ron Dennis só há poucas semanas saiu em definitivo do quadro acionista da empresa.

Foi a 7 de junho que aceitou vender as suas ações ao Grupo que liderou ao longo de 37 anos em troca de uma soma avultada de dinheiro. Mas se a McLaren por acaso não tiver liquidez suficiente para saldar o montante em falta, 37,5 milhões de libras (cerca de 42 milhões de euros) que deverão ser abatidos em várias tranches ao longo dos próximos meses, Dennis poderá levar consigo uma coleção de 13 dos mais importantes monolugares de Fórmula 1 da marca fundada por Bruce.

O facto de os carros terem sido incluídos no negócio relembra-nos do incrível poder negocial de Ron Dennis e da sua influência na empresa, embora o novo CEO Zak Brown tenha assegurado que o financiamento necessário para comprar a participação de Ron Dennis não estava em causa.

A lista de 13 carros representa o que de melhor existe no espólio da McLaren, incluindo o MP4-1 – o primeiro monolugar construído com uma monocoque totalmente revestida em fibra de carbono.

Seguem-se modelos “campeões do mundo” como o de Niki Lauda (1984), Alain Prost (1989), Ayrton Senna (1990 e 1991), Mika Hakkinen (1998 e 1999) e Lewis Hamilton (2008). E outros que venceram em 1985, 1986 e 1988 – neste caso, o MP4/4 que representa o ano de maior sucesso da equipa.

O MP4/8 com que Senna triunfou pela última vez na Fórmula 1, no GP da Austrália de 1993, e o MP4/8 com motor Lamborghini testado pelo brasileiro são outros exemplares que fazem parte desta lista.