Na China, a poluição aérea é um dos males terríveis que afetam as grandes cidades. Com populações de vários milhões e espalhando-se por dezenas de quilómetros em várias direções, este país asiático necessita de grandes infra-estruturas de trânsito para movimentar estes milhões de pessoas todos os dias. Os carros elétricos poderão ajudar a reduzir este problema, mas agora surgiu uma nova proposta: as florestas verticais.

Com a elevada produção de dióxido de carbono e falta de espaço para parques público e áreas arborizadas, a solução passa por aproveitar o modelo do arranha-céus para colocar espaços verdes nas cidades. Nanjing vai receber duas torres, cobertas por 1100 árvores e 2500 trepadeiras, que poderão absorver até 25 toneladas de CO2 por ano.

O projeto é do arquiteto italiano Stefano Boeri, que já tem projetos semelhantes construídos em Singapura, no Japão, Taiwan, Austrália, Brasil e algumas cidades europeias, como Paris e Bordéus.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.