Novo Audi Q5: A tradição alemã ainda é o que era!

Pedro Junceiro
Pedro Junceiro
Editor Conteúdos

Mais leve, mais tecnológico e mais avançado dinamicamente: o novo Audi Q5 reúne-se de argumentos fortes para dar continuidade ao sucesso da geração que agora sai de cena. O objetivo da marca é fazer do seu novo SUV um dos modelos de referência do segmento, batalhando pela posição contra as propostas conterrâneas da BMW e da Mercedes-Benz.

O mais recente Audi Q5 é verdadeiramente novo, tendo o seu desenvolvimento sido um “desafio para os responsáveis da marca”, como foi assumido pelo próprio presidente da companhia, Rupert Stadler. Talvez por isso, atendendo ao sucesso do modelo anterior, o estilo assume uma continuidade e não uma revolução. Mas, vindo de ‘boas famílias’, também não precisava de mudar por aí além. Ou seja, uma tradição evolutiva que perdura de geração em geração.

Para este segundo modelo, contudo, uma das apostas foi no crescimento generalizado das dimensões: o novo Q5 apresenta um comprimento de 4,66 metros, crescendo 34 mm, ao passo que a largura aumentou também para os 1,89 metros e a altura para os 1,66 metros. Também a distância entre eixos aumentou em 12 mm para os 2,82 metros, visando desta forma melhorar a habitabilidade. Apesar do aumento das dimensões, a aerodinâmica foi otimizada para os 0.30 Cx e o peso aligeirado em 90 kg (dependendo da versão), graças à utilização da nova plataforma MLB Evo. O recurso a alumínio e a aços de ultra-elevada resistência permitiu aumentar a rigidez, a segurança e baixar o peso. Exemplo da redução do peso está na suspensão de cinco braços nos dois eixos com construção em alumínio.

Interior

O interior foi pensado para oferecer mais requinte, recorrendo a materiais de qualidade melhorada e a novas soluções tecnológicas, como os sistemas Virtual Cockpit de instrumentação e o head-up display. Além disso, o sistema de infoentretenimento Audi Connect foi também melhorado, permitindo agora novas funcionalidades e conexão melhorada com aplicações de smartphone, surgindo replicadas no ecrã tátil (duas possibilidades de dimensão – 7” ou 8.9”).

No capítulo do espaço interior, o novo Q5 pode contar com o opcional banco traseiro ‘plus’ com regulação longitudinal em 12 cm. Sem esses, a capacidade da mala é de 550 litros, mas é de 610 litros com os bancos traseiros movidos longitudinalmente para a frente.

Motores para todos os gostos

No lançamento, em janeiro, o novo Audi Q5 dispõe de três opções, duas Diesel e uma a gasolina. Entre as primeiras contam-se os 2.0 TDI de 150 CV e 320 Nm com caixa manual de seis velocidades e de 190 CV e 400 Nm com tração quattro e caixa S tronic. No capítulo das variantes a gasolina, o lançamento faz-se com um 2.0 TFSI de 252 CV e 370 Nm em associação às tecnologias S tronic quattro.

Para o mês de setembro está reservada a adição de uma outra motorização Diesel na forma do 3.0 V6 TDI de 620 Nm de binário. Estão disponíveis a caixa manual, caixa S tronic de sete velocidade e Tiptronic de oito velocidades (exclusiva do V6 TDI).

Ultra quattro

Um dos focos deste novo modelo está na evolução da tecnologia quattro ultra, disponível para já no 2.0 TDI de 190 CV e no 2.0 TFSI de 252 CV. Este sistema, composto por uma embraiagem multidisco que acopla, quando seja necessário, o eixo de transmissão das rodas traseiras. Se até aqui é similar aos sistemas Haldex que a Audi emprega noutros modelos, a diferença está no diferencial traseiro em que no diferencial traseiro está uma embraiagem que pode desligar os elementos do diferencial que provocam as maiores perdas por arrastamento como a roda dentada de maior diâmetro banhada a óleo (num sistema desenvolvido pela Audi e pela Magna). Quando é detetada uma falha na motricidade, a eletrónica consegue reativar o diferencial traseiro rápida e eficazmente. Para o V6 TDI, a Audi mantém o sistema de três diferenciais e tração permanente, em que o diferencial central é autoblocante mecânico, garantindo a distribuição corretas de potência entre as rodas do eixo dianteiro e traseiro.

Duas das três caixas de velocidades disponíveis foram também melhoradas e aligeiradas, como é o caso da manual de seis velocidades, agora mais compacta e leve.

No que diz respeito ainda às suspensões, o modelo pode ser equipado com uma suspensão pneumática com diferentes atuações de amortecimento e que tem uma amplitude de movimentação ao solo de 60 mm. Ou seja, se a altura ao solo é mais reduzida do que no modelo sem essa suspensão, é também capaz de subir mais 45 mm, criando assim uma altura ao solo que pode atingir os 231 mm. No modo padrão, ou seja, com a suspensão de base, essa distância ao solo é de 208 mm.

Essa distância ao solo foi pensada também para melhorar os seus atributos fora do asfalto, algo que o modo Off-Road dedicado e o sistema Hill Descent Control vêm igualmente ajudar.

Preços e equipamento

O novo Audi Q5 tem um preço de entrada nos 50.190 euros para o 2.0 TDI de 150 CV, sendo que o outro Diesel tem um custo de 58.640 euros. No caso do motor a gasolina, o custo de base ascende aos 61.250 euros.

Em termos de equipamento, o Q5 conta com sistemas como o cruise control adaptativo, incluindo o assistente de engarrafamentos para trânsito lento até 65 km/h, hill descent assist de série, Audi Active Lane Assist e Audi Side Assist, sistema de segurança Audi pre sense city de série e novas funcionalidades como o assistente de parqueamento, o cross traffic assist rear (que ajuda a sair de lugares de estacionamento de traseira) e assistente de curva.

A Audi propõe o novo Q5 em 14 cores exteriores diferentes. Cinco níveis de equipamentos recém-configurados estão disponíveis – as linhas Sport e Design, o pacote desportivo S line, o design selection e o pacote exterior S line.

Por fim, eis um modelo de que Donald Trump não será muito adepto: a sua produção está a ser feita no México, numa fábrica criada estritamente para este novo modelo, em San José Chiapa, com uma produção anual estimada de 150.000 modelos.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.