O smart elétrico do futuro vai ter consigo para o levar a casa

Pedro Junceiro
Pedro Junceiro
Editor Conteúdos

Totalmente autónomo, o smart vision EQ Concept fortwo revela a forma como a marca alemã encara o futuro da mobilidade urbana. A sua estreia irá decorrer no Salão de Frankfurt, em meados de setembro, coincidindo igualmente com a primeira utilização da designação EQ pela smart, depois de a Mercedes-Benz já o ter feito.

Com um formato não muito distante do de um fortwo atual (ainda que o habitáculo pareça uma cápsula espacial), este novo vision EQ Concept fortwo abdica de todos os controlos interiores, servindo essencialmente de meio de transporte avançado e 100% elétrico. Além disso, este smart aposta numa forte componente tecnológica, com uma vertente de conectividade muito acentuada para responder aos pedidos de transportes quando necessário.

Aliás, sem controlos manuais, este concept responde apenas a comandos vocais ou provenientes do smartphone do utilizador. No lugar do tradicional painel de instrumentos está um ecrã de 24 polegadas que permite observar as informações mais relevantes. Igualmente curioso é o painel exterior na dianteira que pode ser utilizado como meio de apresentar frases ou comunicações escritas com os outros intervenientes da faixa de rodagem ou com os peões. Mensagens como ‘A caminho’ ou ‘Atravesse’ podem ser vistas no referido painel exterior, dando indicações àqueles com quem se cruza.

Já com três modelos elétricos na sua gama – a smart é aliás a única marca com a totalidade dos seus modelos a disporem de uma versão elétrica -, o futuro deverá acentuar também a aposta na tecnologia autónoma, algo que este Vision EQ Concept parece abraçar com força tendo em vista as novas formas de mobilidade em cidade, conforme explicou a CEO da smart, Annette Winkler.

“O smart vision EQ fortwo é a nossa visão para o futuro da mobilidade urbana. É o nosso protótipo mais radical conectado e partilhado: totalmente autónomo, com capacidades máximas de comunicação, amigável, personalizável e, claro, elétrico”, refere Winkler, igualmente convicta de que este é um caminho que dará muitos frutos para a marca do grupo Daimler.

Por fim, importa mencionar (relativamente, uma vez que não será possível de conduzir…) que este concept tem uma motorização elétrica com uma bateria de 30 kWh. A sua inteligência também se assiste na forma como recolhe ao seu posto de carregamento quando não está a ser utilizado.

Naturalmente, ainda faltarão alguns anos até que a smart possa apresentar um modelo com estas capacidades autónomas, tanto mais que é uma tecnologia ainda em evolução e cuja regulação tarda em aparecer, mas o prenúncio de um meio de transporte urbano e totalmente ecológico deixa antever aquilo que se poderá encontrar nas estradas dentro de umas décadas, aproximando-se das observações que antigamente apenas eram comuns nos filmes de ficção científica.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.